Polícia

Embaixador da Grécia no Brasil foi vítima de crime passional

AMIRIDIS FOI MORTO EM CASA, ANTES DE SER LEVADO PARA DENTRO DE UM CARRO QUE ELE HAVIA ALUGADO NO DIA 21.

AMIRIDIS FOI MORTO EM CASA, ANTES DE SER LEVADO PARA DENTRO DE UM CARRO QUE ELE HAVIA ALUGADO NO DIA 21.

O embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, de 59 anos, foi vítima de crime passional. Agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) encontraram, nesta quinta-feira, um sofá com manchas de sangue na residência onde o diplomata estava com a mulher, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Amiridis foi morto em casa, antes de ser levado para dentro de um carro que ele havia alugado no dia 21. O veículo foi encontrado carbonizado, com um corpo dentro, nas proximidades do Arco Metropolitano. Os investigadores já sabem que o corpo foi retirado da casa por volta das 3h da madrugada de quarta-feira.

Segundo agentes, a brasileira Françoise Amiridis, mulher do grego, mantinha um relacionamento extraconjugal com um policial militar. O PM, cujo nome foi citado no depoimento de Françoise, se apresentou na delegacia na madrugada desta sexta-feira, acompanhado de um advogado. Sua identidade foi preservada. Na manhã desta sexta-feira, outro homem chegou algemado à DHBF, conduzido por agentes. Por volta das 10h, Françoise chegou à delegacia em um carro da polícia, acompanhado de três agentes, e não quis falar com a imprensa.

O sofá encontrado na casa do embaixador será periciado. Agora, a polícia está em busca de imagens de câmeras de segurança para averiguar as circunstâncias em que o corpo de Amiridis foi retirado de casa. O corpo carbonizado encontrado dentro do veículo foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML), onde será submetido a um exame de arcada dentária que irá confirmar sua identidade.

Em depoimento à polícia na tarde da última quinta-feira, a mulher do embaixador, Françoise Amiridis, contou à polícia que, na segunda-feira, o marido estava em casa, quando avisou que iria sair, sem revelar o destino. Desde então, ela não conseguiu mais contato com ele.

Amiridis vive atualmente em Brasília e estava passando férias em Nova Iguaçu, onde comprou uma casa próximo à residência dos pais da mulher. O diplomata foi cônsul-geral da Grécia no Rio de 2001 a 2004 e assumiu o posto de embaixador da Grécia no Brasil em janeiro deste ano.

Extra/Globo


Deixe um Comentário