Cidades

Em Fórum de Energia, presidente da FIERN destaca potencial eólico do RN e pede avanços em legislação

FOTO: DIVULGAÇÃO

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), Amaro Sales, destacou nesta quinta-feira (2) o papel estratégico que o estado tem desempenhado no Brasil, como líder em geração de energia eólica e centro de referência em Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação no setor, por meio do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER). O assunto norteou o discurso que fez na abertura do 6º Fórum Estadual de Energia e Sustentabilidade do Rio Grande do Norte (FEERN 2021), em Natal, quando também reforçou que é preciso aproveitar ao máximo esse potencial e superar desafios para que o ambiente de negócios do setor continue favorável. 

“Precisamos discutir legislação”, disse o presidente, se referindo à necessidade de avanços no debate sobre novas regras para licenciamentos ambientais de projetos, no âmbito do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Conema). Uma resolução do órgão, explica ele, cria novas exigências para empreendimentos de geração de energias renováveis, mas a discussão travou e há risco de perda de investimentos. 

“O tema está em discussão no Conema, mas o processo está praticamente parado há dois anos e eu faço um apelo para que isso ande, assim como tem acontecido com o Idema (órgão ambiental que concede licenças no estado) – que tem sido um exemplo de resolução, de agilidade nos licenciamentos”, observou o presidente da Federação das Indústrias. “Precisamos dar velocidade a essa discussão para que venham mais investimentos, para que o Rio Grande do Norte não perca investimentos para outros estados”.

Potencial

Durante o discurso, Sales lembrou que o Rio Grande do Norte já responde por 30% da geração de energia eólica do Brasil, que hoje produz cinco vezes o volume de energia que consome e que a região Nordeste também é autossuficiente. O estado, líder nacional em produção de frutas, de scheelita e sal, disse ele, também tem demonstrado uma capacidade enorme de sobrevivência e de expansão no mercado de energia. “E o Sistema FIERN (que engloba SENAI, SESI e IEL no estado) tem sempre se mostrado presente nas discussões que envolvem o setor, não é a toa que investimos R$ 20 milhões no nosso ISI e temos hoje grandes players mundiais discutindo o assunto aqui conosco”, observou ele.

A Chamada Pública SENAI-CTG Brasil para apoio a projetos de hidrogênio verde, coordenada pelo ISI-ER em Natal, foi citada por ele como exemplo de sucesso e do momento de ebulição do setor. O edital, lançado em setembro deste ano, atraiu projetos de 14 estados, com uma cifra somada de R$ 186 milhões – cerca de 10 vezes o valor previsto na Chamada (R$ 18 milhões). Em discurso na abertura no Fórum, o diretor regional do SENAI-RN, Emerson Batista, também citou o resultado positivo da ação e a contribuição que o ISI e o SENAI têm dado ao setor de energia. “O ISI-ER”, observou ele, “iniciou atividades em um momento pujante das energias renováveis no estado, um momento que cada vez mais cresce e a tendência é que se fortaleça a cada dia mais”.

Investimentos do SENAI na área, acrescentou Batista, também tendem à expansão para atender às demandas da indústria, seja em capacitação ou Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação em projetos de energia eólica em terra, no mar (offshore) ou em áreas como o hidrogênio – objeto de pesquisas da instituição há aproximadamente 10 anos.

O 6º Fórum Estadual de Energia foi promovido pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energias (Cerne), em parceria com o grupo LIDE-RN, que reúne lideranças empresariais do estado. O evento incluiu painéis sobre temas como capacitação e inovação, com a participação do SENAI-RN, referência no Brasil, por meio do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), em formação profissional na área. 

O Fórum também homenageou 15 personalidades que se destacaram no desenvolvimento do setor energético do Rio Grande do Norte, tendo o presidente da FIERN entre os agraciados. A governadora Fátima Bezerra, também homenageada, destacou na abertura do evento que “o Rio Grande do Norte está posicionado para assumir um novo ciclo de protagonismo no contexto das energias renováveis”. Ela fez um balanço positivo da viagem oficial que realizou em novembro deste ano à Dinamarca, com uma agenda voltada a discussões sobre o setor, que, segundo ela, está trazendo resultados concretos.

A governadora citou novos investimentos a caminho e estudos que estão em curso para impulsionar novos negócios, incluindo o Atlas Eólico e Solar, um mapeamento do potencial potiguar que está sendo desenvolvido pelo ISI-ER. “O Rio Grande do Norte está dando sua contribuição ao processo de transição energética e vai se destacar ainda mais”, frisou.


Comente aqui