Polícia

Em áudio que vaza na internet, capitão Styvenson achincalha Polícia Civil do RN e diz que agentes e delegados são preguiçosos

CAPITÃO STYVENSON GRAVA ÁUDIO DIZENDO QUE AGENTES E DELEGADOS DA POLÍCIA CIVIL SÃO PREGUIÇOSOS

CAPITÃO STYVENSON GRAVA ÁUDIO DIZENDO QUE AGENTES E DELEGADOS DA POLÍCIA CIVIL SÃO PREGUIÇOSOS

Está circulando com força na internet um áudio cuja autoria está sendo atribuída ao capitão Styvenson Valentim, coordenador da Lei Seca no Rio Grande do Norte. Na gravação, que vazou para as redes sociais, o militar achincalha com a Policia Civil do Rio Grande do Norte, externando todo o desprezo que aparentemente nutre pela corporação, tradicional aliada da Polícia Militar, instituição da qual faz parte. Nem mesmo a própria PM escapou de ser alvo da retórica egocentrista do militar, que diz que os bons resultados da Operação Lei Seca é decorrente tão somente do seu trabalho pessoal. “O policiamento que eu faço depende de mim e só de mim mesmo, por isso é coisa bem feita. Não sou vinculado a CPRN

, não sou vinculado a Policia Militar e Detran. As coisas que eu faço não é por instituição não.  É por mim mesmo”, assinala.

Valentim, que chega a taxar o Brasil de “País de merda”, diz que  “o policial civil ganha muito bem para não fazer e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. Ele complementa afirmando que os “delegados acham que têm poder sobrenatural para não fazer nada”. O capitão afirma ainda que já denunciou as delegacias que não querem trabalhar por “preguiça”.

As declarações do policial militar, conhecido por gostar de se projetar diante dos holofotes da mídia, repercutiram de imediato, fazendo com que surgissem nos grupos de whatsapp novos áudios sobre o assunto. Em um deles, um provável policial civil sediado na região Oeste do estado, diz que Valentim quer aparecer e retruca: “mande ele vim aqui para região do Alto Oeste combater bandido e assaltante de banco, pois prender bêbado dirigindo é fácil demais. Agora querer aparecer na mídia e ficar conversando M… ele sabe. Mande ele vim para cá para ver como a gente trabalha”, diz o áudio.

Em um outro áudio que circula na internet, o tenente-coronel PM R1, Walterler, diz que ouviu “com muita preocupação a fala do capitão, tecendo acusações desnecessárias, inoportunas  e que não retratam a verdadeira realidade”.

O oficial superior ressalta que os policiais civil e militar são companheiros inseparáveis. “Quero deixar o meu pedido de desculpas aos valorosos companheiros da Polícia Civil”. Ele enfatiza que Valentim tem o dever de pedir desculpas a Polícia Civil do Rio Grande do Norte.


Deixe um Comentário