Política

Dilma chega a Nova York e é recebida com flores em ato contra o impeachment

A PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF É RECEBIDA POR BRASILEIROS EM NOVA YORK – (FOTO: ROBERTO STUCKERT FILHO)

A PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF É RECEBIDA POR BRASILEIROS EM NOVA YORK – (FOTO: ROBERTO STUCKERT FILHO)

Cerca de 50 brasileiros receberam a presidente Dilma Rousseff em sua chegada a Nova York, na noite desta quinta-feira (21), em frente à residência oficial do embaixador Antonio Patriota na cidade. O grupo levou flores para a presidente se manifestou contra o impeachment com palavras de ordem, cartazes e tambores. Na sexta-feira, ela participará de encontro na sede das Organizações das Nações Unidas (ONU), no qual fará um discurso de cinco minutos diante dos chefes de estado.

De acordo com os manifestantes, o movimento foi organizado pelas redes socias. Os cartazes continham dizeres desde “Impeachment é ilegal” até “Fora Cunha”, em referência ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

O discurso de Dilma deverá focar no papel decisivo que o Brasil teve para que a 21ª Cúpula das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 21) chegasse ao acordo mais importante sobre redução de gases de efeito estufa desde o Protocolo de Kyoto, assinado em 1997. Auxiliares da presidente a aconselharam a tratar do impeachment durante a entrevista coletiva, para evitar desconforto entre os líderes mundiais reunidos para tratar de um tema ambiental.

Em algum momento, Dilma apresentará os argumentos de que as pedaladas fiscais foram feitas por outros presidentes antes dela e não deveriam configurar crime de responsabilidade. Dirá também que os decretos orçamentários não serviram para beneficiá-la pessoalmente, que mais uma vez é vítima de uma injustiça e que o impeachment é um golpe na democracia.

A decisão de participar do evento da ONU, tomada pouco mais de 24h antes de embarcar, levou em conta a agenda positiva que o acordo climático representa para Dilma e a chance de ela demarcar sua versão na esfera internacional. O Planalto vem monitorando a cobertura da imprensa estrangeira sobre a crise brasileira e avalia que os veículos de fora têm dado mais espaço para os argumentos de defesa da presidente.

O Globo

 

 

 


Deixe um Comentário