Educação

Cursos da UFRN conseguem boa avaliação no Enade com envolvimento de alunos, servidores e Centros Acadêmicos

FOTO: CEDIDA

No último período do curso de graduação, além de se deparar com a elaboração do trabalho final, alguns alunos precisam passar ainda por residências e estágios curriculares. Isso sem falar na possibilidade de o curso ser selecionado para participar do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Muitos chegam a essa etapa sem saber o que é o Enade e qual a importância para seu curso, ao obter uma boa nota, e para a Universidade, ao possibilitar a autoavaliação das graduações, em busca da excelência acadêmica.

Por falar em conseguir uma boa nota, alguns cursos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) conseguiram alcançar a pontuação máxima no exame, ou mesmo aumentaram suas notas em relação às avaliações anteriores. Um deles, o curso de Turismo da Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (Felcs), com a pontuação 2, corria o risco de ser extinto e conseguiu reverter a situação, alcançando a nota 4.

Em 2018, quando a Faculdade ainda não tinha sido criada e o curso era vinculado ao Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres – Currais Novos), os alunos da graduação fizeram o Enade. A ex-aluna Amanda Larissa de Medeiros Costa, trabalhando hoje em uma agência de turismo em Currais Novos, lembra como foi a preparação que levou o curso a atingir a nota 4 no exame.

“Começamos a nos preparar um semestre antes da prova, quando a coordenação do curso colocou na grade curricular uma disciplina específica do Enade, direcionada aos alunos que iriam fazer o Exame. Nessa disciplina, fomos respondendo provas anteriores, discutindo questões, fazendo redações, todo um processo de preparação até a prova”, comenta.

Quando entrou na graduação de Turismo, Amanda disse que se apaixonou pelo curso. Por isso, destaca, ela e os outros alunos se empenharam muito para que conseguissem mostrar que ele valia a pena e não devia ser fechado, pois “representava muito para a região em que está inserida [Seridó] e por tudo que ele podia oferecer”.

Amanda coloca ainda que o Enade tem uma grande importância para mostrar o que o aluno está vivenciando e o que está adquirindo de conhecimentos na universidade. “Se a forma de ensino está sendo aplicada corretamente, isso fortalece muito com a nota do Enade. Com a elevação da nota, nosso curso passou a ser mais valorizado, principalmente para quem queria ingressar no meio acadêmico. Se o curso tem nota baixa, acaba não sendo visto com bons olhos”, conclui.

Outro curso que conseguiu se destacar na avaliação do Enade, dessa vez em 2019, foi o de Fonoaudiologia, vinculado ao Centro de Ciências da Saúde (CCS), em Natal. A graduação conseguiu subir a pontuação no Exame, passando de 3 para 5. Naquele ano, sete cursos do CCS obtiveram nota máxima no Enade. Alcançaram a nota 5 as graduações de Nutrição, Enfermagem, Medicina, Educação Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Saúde Coletiva. Já Odontologia e Farmácia obtiveram nota 4.

A fonoaudióloga Natália Lucena, que se submeteu à prova em 2019, recorda toda a preparação que levou a conquista da nota máxima no Enade. “Nosso departamento foi maravilhoso. Junto com todos os professores realizaram oficinas, simulados Enade, aplicação de provas anteriores, oficina com técnicas para controlar a ansiedade antes da prova, fizemos até meditação. Foi um ano de preparação, que nos motivou muito a participar do Exame e fazer uma ótima prova”, lembra. Natália inclusive participou de um vídeo, em 2019, divulgado no Instagram da UFRN, voltado a falar sobre a preparação para o exame.



Comente aqui