Natal

Condenado sem justa causa: exoneração do filho do dono da “Senzala” expõe fraqueza da Câmara Municipal de Natal

CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL SE ENVOLVE EM POLÊMICA AO NOMEAR FILHO DE DONO DE CASA DE DRINKS

A Câmara Municipal de Natal poderia ter se poupado do desgaste de imagem que teve nesta quarta-feira, diante da polêmica sobre a nomeação de um jovem de 32 anos, Amy Trajano Júnior, filho do proprietário de uma casa de drinks de alto padrão, chamada “Senzala”, que tem entre seus frequentadores assíduos representantes da “fina flor” da sociedade natalense.

Se a nomeação de Amy Trajano Júnior, solicitada pelo vereador Raniere Barbosa ao presidente da Casa, Paulinho Freire, cheirou mal nos narizes empinados da sociedade natalense, muito pior foi o mau cheiro da fraqueza que o Poder Legislativo exalou ao exonerar o rapaz pelo simples fato dele ser filho de um empresário da vida noturna, que atua no mais antigo segmento de mercado do mundo.

Deixou no ar o cheiro de discriminação social….

A situação criada pelo vereador Raniere Barbosa sobrou para o colega Paulinho Freire, que passou toda a manhã de hoje tendo a sua imagem exposta à chacota, mesmo sem ser o “padrinho” do jovem nomeado,

Aliás…

…. No frigir dos ovos a nomeação de Amy Trajano Junior não assanha nem arranha a imagem do parlamento municipal, que no passado recente foi negativamente exposto na esfera do Ministério Público.

Ser filho de dono de uma casa de drinks não é crime, nem torna qualquer pessoa inapta para exercer uma função pública.

No caso de Amy Trajano Júnior, ele foi condenado sem defesa e teve privado o seu direito de trabalhar para sustentar a sua família.

A Câmara Municipal mostrou-se fraca ao acatar a decisão do vereador Raniere Barbosa de demitir seu próprio “apadrinhado” , diante da pressão das redes sociais.

Ao invés de ter a atitude republicana de defender a lisura do ato administrativo que fez, e mostrar à opinião pública que nele não havia qualquer vício que o torna-se proibitivo, o parlamento apressou-se em desfazer o que tinha feito, como se a nomeação do rapaz fosse um lixo que se escondesse debaixo de um tapete.

Há situações em que paga-se um preço alto ao abaixar a cabeça e ceder a pressão de postagens de redes sociais, cujo único objetivo é promove o sensacionalismo.

Com a Câmara certamente não será diferente.

A mesma rede social que se aproveitou da nomeação de Amy Trajano Junior para achincalhar o Legislativo municipal, ainda se mostra leviana.

No WhatsApp se diz agora que foi a Senzala Casa Show que não quis ter o seu nome vinculado à Câmara.

Esse é o tributo que se paga quando apressa-se em “dobrar a espinha”.

O vereador Raniere Barbosa abriu um precedente cuja fatura, mais cedo ou mais tarde, poderá lhe ser cobrada.


Deixe um Comentário