Economia

Como será o retorno ao escritório no pós Covid-19?

FOTO: DIVULGAÇÃO

De repente, empresas e profissionais tiveram que mudar a sua forma de trabalho para se adaptarem às exigências dos órgãos de saúde, no combate ao COVID-19. No entanto, nem todos conseguiram essa adaptação e chegar no modelo Home Office com atendimentos 100% remotos.

Com a mudança e os efeitos econômicos provocados pela pandemia, surgiu a necessidade dos negócios se organizarem com orçamentos mais enxutos e foco total nas ferramentas para potencializar o negócio ou serviço.

Para Raquel Cunha, arquiteta e sócia-proprietária da EFC Participações “a pandemia trouxe a necessidade de mudanças e um novo olhar sobre o local de trabalho. No pós-pandemia, os colaboradores precisarão voltar ao ambiente de trabalho e ele, obrigatoriamente, precisa estar adaptado às recomendações dos órgãos de saúde e à nova cultura de convívio coletivo”.

Diante disso, o empreendedor chega ao dilema de como aliar o enxugamento de custos com os investimentos para atender as exigências para a retomar das atividades. E é por isso que a busca por soluções e novos formatos de trabalho tem ganhado espaço nas discussões das comunidades empreendedoras em todo o Brasil.

“O fato é que as empresas precisam se concentrar na gestão do seu produto ou serviço e não na administração de seus espaços. Ou seja, fugir de investimentos em reformas, mobiliários, limpeza, redução de custos com insumos entre outros itens. O futuro dos negócios está migrando para o que chamam de economia do compartilhamento”, afirma Raquel.

Uma solução para esse novo futuro são os escritórios compartilhados, com salas individuais e ambientes de uso coletivo, além dos Coworkings. As características desses locais atendem bem à essa nova necessidade das empresas, com espaços de escritórios que comportam todos os perfis de profissionais e negócios.

“O EFC Candelária e EFC Tirol são exemplos desse novo modelo, em que a empresa ou profissional autônomo paga mensalmente para ter um espaço personalizado, mobiliado, com todos os serviços de internet, segurança, recepção, água, energia, café, água, entre outros insumos, economizando recursos e acabando com as preocupações de gerenciamento de espaço”, comenta a arquiteta.

A EFC Participações é referência em locação de espaços corporativos e industriais e atua há mais de 10 anos no mercado potiguar com soluções de imóveis personalizados para diversos perfis de negócios.


Comente aqui