Mercado

Chevrolet vai encerrar produção de carros a combustão no Brasil até 2035

GRUPO INDUSTRIAL FABRICANTE DOS CARROS DA CHEVROLET PRETENDE ATINGIR A NEUTRALIDADE EM CARBONO ATÉ 2040. FOTO: DIVULGAÇÃO

A General Motors revelou que pretende interromper, até 2035, a fabricação de todos os veículos leves a combustão de suas marcas, incluindo os modelos Chevrolet do Brasil.

A decisão foi anunciada na última quinta-feira (28), nos Estados Unidos, durante a assinatura pela General Motors do Business Ambition Pledge para 1,5⁰C, um chamado urgente à ação de uma coalizão global de agências da ONU, líderes empresariais e industriais.

Até 2040, a GM pretende atingir a neutralidade de carbono em seus produtos e processos de fabricação de veículos. De acorco com o grupo industrial, a utilização dos produtos da empresa é responsável por 75% das emissões de carbono relacionadas a este compromisso.

Até lá, a GM pretende investir na construção de uma infra-estrutura de carregamento para incentivar a compra de carros elétricos e ampliar a sua gama de veículos de emissão zero, com o lançamento de 30 novos modelos deste tipo em todo o mundo até meados da década.

Atualmente, a linha de veículos elétricos internacionais da GM inclui o Chevrolet Bolt e o GMC Hummer EV. Mas em breve irá incorportar também o Cadillac Lyriq e o SUV Chevrolet Bolt EUV. Na China o grupo oferece também o SUV Chevrolet Menlo e os Wuling Mini EV e Baojun E100, E200 e E300, modelos compactos desenvolvidos com fabricantes locais especificamente para o mercado chinês.

Apesar do anúncio, a GM destaca que o fim dos carros a combustão será um processo gradual, com os modelos recebendo até lá atualizações para reduzir o consumo de combustível, como a introdução em escala mais larga de tecnologias como o start-stop, transmissões mais eficientes e motores de menor litragem.

“Com este extraordinário passo à frente, a General Motors está deixando claro que tomar medidas para eliminar a poluição de todos os veículos leves novos até 2035 é um elemento essencial do plano de negócios de qualquer fabricante de automóveis”, disse Fred Krupp, presidente do Fundo de Defesa Ambiental.

iG


Comente aqui