Política

Chamado de próximo presidente, Huck diz que Brasil precisa ser mais bem representado

DECLARAÇÃO OCORREU EM REUNIÃO DO FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL EM DAVOS, NESTA QUINTA-FEIRA. FOTO: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

O apresentador Luciano Huck atraiu a maior parte das atenções nesta quinta-feira (23) durante o painel que participou sobre os protestos de rua na América Latina na reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos, mas evitou polêmicas.

Discorrendo sobre desigualdade, educação e ambiente, foi chamado em voz alta ao menos duas vezes de “próximo presidente do Brasil” — pelo escritor e youtuber brasileiro Raiam Santos e pela secretária executiva da Comissão Econômica para América Latina e Caribe da ONU, Alicia Bárcena Ibarra.

Huck, que é visto como potencial candidato à Presidência em 2022, desviou do epíteto. Indagado após o evento sobre os temas que abordou no almoço e as ações do Brasil na área, disse que o Brasil merecia representação melhor no exterior “O Brasil precisa ser mais bem representado, para além da economia”, afirmou.

Folha de SP


Deixe um Comentário