Geral

CBTU apoia campanha nacional de conscientização sobre a camada de ozônio

Os usuários de trens urbanos de Natal, passaram a ter contato a partir desta quinta-feira (16), por meio de um painel instalado na Estação Natal, no bairro da Ribeira e de um carro de VLT envelopado, com os resultados e benefícios de 30 anos de implementação do Protocolo de Montreal. A iniciativa visa disseminar informações sobre as ações realizadas para eliminar as substâncias destruidoras da camada de ozônio.

A participação da CBTU foi estabelecida através da Gerência Técnica de Marketing e Potencialidades Comerciais (Gempo) e da Gerência Geral de Tecnologia, Expansão e Marketing, vinculadas à Diretoria de Planejamento, que não mediu esforços para apoiar a campanha pela sua importância socioambiental.

“Transportamos aproximadamente 570 mil pessoas por dia. Todas elas terão acesso à campanha através de adesivagem dos nossos trens, banners e cartazes comemorativos, além dos meios de comunicação oficiais da CBTU. Ficamos lisonjeados em contribuir para a divulgação de um tema tão relevante”, afirma o diretor-presidente José Marques de Lima.

A campanha visa atingir um público de cerca de 4,2 milhões de pessoas por dia em nove cidades de quatro regiões do país: Natal (RN), João Pessoa (PB), Recife (PE), Maceió (AL), Salvador (BA), Brasília (DF), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS).

Além disso, por meio da interatividade, os usuários poderão enviar fotos e mensagens pelas redes sociais, por meio da hashtag #30AnosProtocoloDeMontreal, e realizar o download de publicações sobre a proteção da camada de ozônio em seus aparelhos celulares.

“A ideia de inserir os metrôs na campanha de divulgação dos 30 anos foi aproximar-se do cidadão e mostrar que as substâncias que destroem a camada de ozônio estão presentes nos bens de consumo que fazem parte do nosso dia. Diversas ações ao longo desses anos foram realizadas para que continuemos tendo acesso a esses bens de consumo, mas sem que eles contribuam para destruição da camada protetora que protege todos os seres vivos do excesso de radiação ultravioleta”, comenta a coordenadora-geral de Proteção da Camada de Ozônio do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Magna Luduvice.

“Sustentabilidade é uma prática que anda junto com o sistema metro-ferroviário de passageiros. Sem poluição sonora e emissão zero para sistemas eletrificados, a utilização de trens, metrôs e VLT contribui de forma significativa para a melhoria da qualidade ambiental das cidades onde estão instalados. Mas os operadores desse sistema de transporte têm a consciência de que para a sustentabilidade do planeta é importante que cada um faça a sua parte. Dessa forma, com os milhões de passageiros transportados todos os dias, nossos sistemas também se tornam um importante veículo de comunicação e engajamento em prol do meio ambiente”, afirma a superintendente da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Roberta Marchesi.

Saiba Mais

Em 30 anos, os países partes do Protocolo eliminaram totalmente o consumo e produção dos clorofluorcarbonos (CFCs), halons, brometo de metila para fins agrícolas, CTC e, atualmente, estão em fase de eliminação dos hidroclorofluorcarnobos (HCFCs).

Essas substâncias, quando emitidas para a atmosfera, reagem com o ozônio estratosférico, quebrando sua molécula. O resultado é a rarefação da camada de ozônio e o consequente aumento da incidência de raios UV-B sobre a superfície da Terra. Em excesso, essa radiação pode causar câncer de pele, catarata e diminuição da biodiversidade de plantas e animais.

Graças aos esforços do Protocolo de Montreal, estima-se que, até meados do século XXI, a camada de ozônio se recupere aos níveis registrados no início da década de 1980. Porém, é importante que a população também faça a sua parte, optando por adquirir produtos livres das substâncias destruidoras do ozônio e cobrando a destinação adequada dessas substâncias presentes, principalmente, em espumas de poliuretano, aparelhos de refrigeração e de ar-condicionado. Proteger-se dos raios UV-B nocivos à saúde humana é outra atitude que deve ser cultivada, devendo-se sempre utilizar protetor solar ao se expor a ambientes externos.

A campanha é uma parceria entre as agências implementadoras do Protocolo de Montreal no Brasil – o MMA, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e a agência de cooperação alemã GIZ – e as companhias de trens e metrôs do país – ANPTrihos, Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Via Quatro, Companhia Paulista de Trens Urbanos (CPTM), Trensurb, Metrô Bahia, Companhia de Transporte do Estado da Bahia (CTB) e Metrô DF.


Deixe um Comentário