Brasil

Cantora gospel diz para família de menina de 13 anos estuprada por pastor que ela “gostou”

CANTORA LINDALVA MARTINS CHOCOU PÚBLICO EVANGÉLICO. FOTO: REPRODUÇÃO

Um pastor da Assembleia de Deus em Poconé (102 km de Cuiabá), identificado apenas como “Adão”, foi preso no dia 5 deste mês, acusado de abusar sexualmente de uma adolescente de 13 anos.

Um tio da garota denunciou que a cantora gospel Lindalva Martins, da mesma igreja, enviou uma mensagem para a adolescente, dizendo que ela teria “gostado de ser abusada”.

De acordo com a informação, o episódio aconteceu após a cantora ter ido até a casa da família da vítima, para “profetizar” que, caso a mãe da adolescente não retirasse a queixa contra o pastor, Deus iria tirar a vida de um de seus filhos.

Segundo a denúncia, a cantora de Cuiabá teria se deslocado até Poconé apenas para chantagear a família, logo que soube da denúncia contra o pastor.

Na casa da vítima, Lindalva teria dito que estava hospedada na casa de Alinor Barreto Rondon, pastor presidente da sede da Assembleia de Deus em Poconé, em uma tentativa de intimidar.

“Ela falou, lá na casa da mãe da vítima, a seguinte palavra ‘Eu estou hospedada, ficando na casa do pastor presidente aqui de Poconé, então eu tenho toda a liberdade de falar pra vocês que se vocês não retirarem a queixa lá da delegacia para soltar o meu amigo Adão, que está preso, Deus vai matar um de seus filhos’”, contou o tio da vítima.

O crime

De acordo com a polícia, a conduta do pastor estava sendo investigada desde 2020, quando recebeu a denúncia dos abusos contra a adolescente de 13 anos, que seria filha de uma amiga do acusado.

A menina contou sobre os abusos para a mãe, que foi à delegacia. Em seguida, foi pedida a prisão do acusado, mas ele fugiu. Tempos depois, ele se apresentou com a defesa e responde inquérito.

Cantora rebate as acusações

Após a repercussão negativa do caso, Lindalva se manifestou, nesta terça-feira (13), nas redes sociais, onde negou algumas das acusações feitas pelo tio. Em um vídeo a cantora caracterizou como “inverdades” as acusações de que ela teria chantageado a família.

“Todos que me conhecem sabem da minha índole e do meu caráter e do meu ministério. Sabem que eu jamais usaria o nome de Deus em vão. A única finalidade que eu vejo… é clara a intenção de querer denegrir a minha imagem e a minha carreira. Eu jamais usaria o meu ministério e os dons que recebi de Deus para intervir em uma denuncia, ainda mais sobre esse fato”, disse a cantora.

O Fuxico Gospel


Comente aqui