Política

Câmara rejeita abrandar regras de transição na reforma da Previdência

CÂMARA RETOMA VOTAÇÃO DE DESTAQUES DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA. MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

A Câmara rejeitou nesta sexta-feira, 12, duas propostas de mudanças à PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma da Previdência que abrandariam as regras de transição para os trabalhadores.

Uma das alterações reduzia de 100% para 50% o pedágio sobre o tempo restante para se requerer o benefício no momento da promulgação do projeto. Isso significa que se faltassem 2 anos para a aposentadoria, o trabalhar não precisaria mais trabalhar 4 anos, mas 3. Foram 296 votos contrários à mudança e 165 favoráveis.

A outra proposta acabava com a aplicação de pedágio na regra de transição. Foi rejeitada por 387 votos contra 103. Ambas haviam sido propostas pelo PDT.

Esses foram os 2 primeiros destaques (trechos votados em separado) analisados pelo plenário da Câmara nesta 6ª feira. Os deputados estão novamente reunidos para analisar possíveis alterações ao texto-base, aprovado na quarta-feira,10, pelo plenário.

Na noite dessa quinta-feira, já foram aprovadas regras mais suaves para aposentadoria de policiais, homens e mulheres. Analisados os destaques, o texto precisará ser encaminhado novamente à comissão especial e, depois, ser votado em 2º turno pelo plenário da Casa. Em seguida, segue para o Senado.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o governo esperavam que a votação na Casa fosse concluída nesta semana. O demista, no entanto, já admite a possibilidade de isso só ocorrer em agosto.

Poder 360


Deixe um Comentário