Brasil

Burocracia vai atrasar a chegada de vacina contra Covid-19 na rede privada

O PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CLÍNICAS DE VACINAS, GERALDO BARBOSA, DESTACA A DIFICULDADE PARA CONSEGUIR DOSES. FOTO: JACQUELINE LISBOA

Com a validação das primeiras vacinas contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, o mundo voltou os olhos para a possibilidade de uma imunização. Enquanto os governos pensam em um esquema de proteção a ser disponibilizado gratuitamente para grupos de risco, o mercado de saúde privada sequer tem previsão de quando o produto estará disponível e quanto custará.

Em entrevista ao Metrópoles, o presidente da Associação Brasileira de Clínicas de Vacinas (ABCVAC), Geraldo Barbosa, explica que a capacidade de a indústria atender à demanda e, no caso do Brasil, a necessidade de legislação para que o produto seja liberado no mercado privado atrasarão a chegada das vacinas na rede particular.

A notícia frustra as expectativas de quem não está nas faixas etárias que são prioridade na vacinação a ser executada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que será em quatro fases e deve começar em março de 2021. “Entendemos a ansiedade, mas a própria indústria está preocupada em fazer o volume necessário de imunizantes. A gente não terá comercialização a curto prazo”, lamenta.

Metrópoles


Comente aqui