Economia

Bolsonaro receberá proposta da reforma da Previdência até domingo, diz Onyx

O MINISTRO DA CASA CIVIL, ONYX LORENZONI. (FOTO: SERGIO LIMA)

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta terça-feira (15) que a proposta da reforma da Previdência deve ser apresentada ao presidente Jair Bolsonaro no próximo domingo (19), antes do militar viajar para Davos. Onyx já havia dito que o projeto seria apresentado nesta semana. Segundo o ministro, o projeto está em “2 pilares bem construídos” e agora a equipe técnica está dando os “toques finais”.

“As equipes tão alinhando aquilo que o ministro Paulo Guedes sempre defendeu, que da gente fazer o remendo do atual sistema, a recuperação do atual Sistema. E poder oferecer para as novas gerações 1 novo caminho”, disse.

“Eles estão agora dando os toques finais nesse processo, para que até domingo a gente possa apresentar ao presidente, para que o presidente use esse período da viagem a Davos para ler, se aprofundar”, completou.

Bolsonaro viajará a Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial, de 22 a 25 de janeiro. Segundo o ministro, a intenção é de que na volta da viagem, o presidente dê o “sinal verde” sobre as alternativas apresentadas, até antes da cirurgia, para a conclusão de fato do projeto.

“O ministro Paulo Guedes vai acompanhá-lo nessa viagem a Davos, de tal forma que eles vão poder discutir, para na volta de Davos, antes da cirurgia, o presidente poder dar o sinal verde para que as equipes técnicas concluam o processo da reforma e a gente possa apresentar ao Congresso“, disse.

O ministro evitou dar novos detalhes do projeto. Reafirmou que a proposta determinará um sistema de capitalização, já informado por Paulo Guedes. Segundo ele, o projeto é baseado em “experiencia internacional”.

“O que a gente pretende é apresentar uma reforma da Previdência que sirva para os próximos 20 ou 30 anos no Brasil e não se precise mais discutir reforma da Previdência”, afirmou.

Sobre a medida provisória para combater fraudes no INSS, Onyx disse que a equipe está se esforçando para que a medida seja assinada antes da viagem de Bolsonaro. No entanto, disse que “não seria uma surpresa se ela fosse assinada na volta dele”.

“Está sendo trabalhado, tem todo 1 processo de validação e vários ministérios já validaram. Falta ainda alguns detalhes, alguns ajustes. Nós estamos trabalhando com a perspectiva, que ainda não está confirmada, da MP poder ser apresentada antes da viagem, mas também não seria uma surpresa se ela fosse assinada na volta dele”, afirmou.

Poder


Deixe um Comentário