Esporte Geral Internet Mundo Natal

“Barão ficou com a pressão muito alta no dia da luta contra TJ”, revela técnico

Jair Lourenço e Renan Barão chegaram a Las Vegas no domingo, como parte da estratégia de adaptação ao clima local (Foto: Evelyn Rodrigues)

Jair Lourenço e Renan Barão chegaram a Las Vegas no domingo, como parte da estratégia de adaptação ao clima local (Foto: Evelyn Rodrigues)

Neste domingo, Renan Barão volta ao octógono do UFC exatos 309 dias após a segunda derrota de sua carreira para TJ Dillashaw. Na época, o brasileiro tentava recuperar o posto de campeão peso-galo da organização, perdido para o americano em maio de 2014.

No entanto, mesmo depois de um camp completo de treinos e de muita dedicação, o potiguar não obteve o rendimento esperado dentro do octógono e acabou nocauteado pelo ex-algoz e então campeão da divisão.

O ano anterior do brasileiro havia sido marcado, não apenas pela quebra da invencibilidade de 33 lutas, como também por problemas no corte de peso, que o tirariam do evento principal do UFC 177, na véspera do card, em agosto, depois de ter lutado em fevereiro e maio. Ainda assim, Barão se submeteria a outros dois processos de perda de peso nos 11 meses seguintes ao episódio. Na balança, ele cravaria os 61,2 kg da categoria, mas no octógono não teria o mesmo desempenho físico e tático que o tornou campeão peso-galo do Ultimate.

Em entrevista, o treinador de Barão e líder da equipe Kimura / Nova União, Jair Lourenço, atribuiu as dificuldades sofridas pelo atleta em seus últimos duelos ao desgaste físico e emocional do processo de desidratação, revelando que o pupilo teve hipertensão arterial antes da revanche contra Dillashaw, em julho do ano passado:

– Uma luta perdida só é derrota se não aprendemos nada com ela. Então, com certeza, não foi uma derrota, porque ele aprendeu muito, foi apenas uma luta perdida, não tanto pela questão de técnica ou de treino, mas pela questão fisiológica, não foi nem psicológica. O Barão até com pressão alta no dia da luta contra o TJ ficou; a gente não divulgou isso, mas ele ficou com a pressão muito alta, justamente devido ao corte de peso excessivo, porque quando você hidrata pouco os rins, a tendência é aumentar a pressão. Se aumentou a pressão, era porque os rins estavam sentindo e ele não estava recuperando bem. Devido a ficar tantos dias reduzindo a água, isso influenciou, e você ficar com a pressão alta afeta muito seu rendimento, coisa que não vai acontecer nesta luta de domingo – declarou.

Para o técnico, o cenário atual é bem diferente do vivido pelo time no ano passado e os 10 meses que Barão passou longe do octógono o ajudaram a redescobrir a vontade de vencer.

– Esse tempo sem lutar fez ele evoluir fisicamente e mentalmente, fez com que ele voltasse a ter aquela fome de luta. Ele estava lutando muito quando era campeão, sempre tinha luta, foram muitas lutas seguidas antes e logo após o título. Esse tempo que ele ficou sem lutar serviu para ele repensar e sentir essa fome de vitória, fome de luta. Então o Renan está com muita fome, muita vontade, muito feliz de estar aqui de novo, de volta a trabalhar.

Lourenço também ressalta que a mudança de Barão para a categoria peso-pena (65,8 kg) aconteceu de forma natural e foi definida pelo time antes mesmo da proibição da reidratação por soro intravenoso ser introduzida pela nova política antidoping do Ultimate.

– O Renan, naturalmente, já vem subindo praticamente um quilo ao ano, devido aos camps. Ele fazia duas ou três lutas por ano, então o treinamento, a suplementação, a preparação física, juntamente à chegada da idade; quando ele entrou no UFC, ele tinha 22 ou 23 anos, seis anos atrás, e naturalmente o corpo vai ficando mais forte, a ossatura mais pesada. Foi um processo natural ter que subir, até pelo rendimento nas lutas, que cada vez ficava mais difícil de ele render como rendia bem no início. Acho que o processo foi natural, foi bem tranquilo. Ele está feliz, está se alimentando. Hoje (terça) fomos à praia aqui do hotel (risos), foi bem legal, e eu tenho certeza que o rendimento dele vai ser excelente.

Para garantir que tudo saia como o planejado na reta final de preparação, Barão chegou a Las Vegas uma semana antes do combate, e com cerca de 6kg para perder até a pesagem deste sábado – quantidade que está dentro dos limites que serão introduzidos em julho pelo Ultimate, que estipulam que os atletas não percam mais do que 8% do peso da categoria em semana de luta.

– Saímos de Natal no domingo, já treinamos aqui ontem (segunda-feira), viemos também uns dias atrás para o TUF, e minha intenção foi essa – já sabia que ele ia lutar aqui, e queria que ele treinasse mais e se adaptasse. Mas aqui em Vegas ele está em casa, já fez grandes lutas aqui – a estreia dele no UFC foi aqui no MGM, então está bem adaptado. Mas foi uma estratégia nossa chegar dois dias antes de todos para se aclimatar mais, já que a cada uma hora de fuso horário é um dia para recuperar. São cinco horas (de diferença), então resolvemos chegar sete dias antes para recuperar e ainda ter dois dias para ele ficar se sentindo em casa.

Quanto ao adversário de Barão neste domingo, que é o nono colocado no ranking dos penas, o técnico acredita que será um teste de fogo, mas confia nas qualidades e na versatilidade do ex-campeão dos galos:

– O Stephens é um cara que tem a mão dura, já nocauteou inclusive Rafael dos Anjos, Rony Jason (Dennis) Bermudez, é um cara bem duro, mas acredito que o Renan é mais versátil, tem mais armas em pé. Acho que o Jeremy é mais pegador, devido a vir da categoria de cima, mas acredito que o Barão, por vir da categoria de baixo, vai ter mais volume de luta, mais velocidade. O fator força, acho que não vai ser tanto problema para o Barão, porque ele é um cara muito forte; a vida toda, competindo no jiu-jítsu, lutava no peso-absoluto e treinava muito com caras fortes, então não acho que isso vai ser um fator. Acredito que o Barão vai vencer na técnica e na velocidade – finalizou.

UFC: Almeida x Garbrandt
29 de maio, em Las Vegas (EUA)
CARD PRINCIPAL (a partir de 22h de Brasília):
Peso-galo: Thomas Almeida x Cody Garbrandt
Peso-pena: Renan Barão x Jeremy Stephens
Peso-meio-médio: Rick Story x Tarec Saffiedine
Peso-médio: Chris Camozzi x Vitor Miranda
Peso-meio-médio: Jorge Masvidal x Lorenz Larkin
Peso-leve: Josh Burkman x Paul Felder
CARD PRELIMINAR (a partir de 19h de Brasília):
Peso-galo: Sara McMann x Jessica Eye
Peso-leve: Abel Trujillo x Jordan Rinaldi
Peso-médio: Jake Collier x Alberto Uda
Peso-leve: Erik Koch x Shane Campbell
Peso-galo: Aljamain Sterling x Bryan Caraway
Peso-pesado: Chris de la Rocha x Adam Milstead


Deixe um Comentário