Famosos

Atriz Marina Rui Barbosa critica homenagens pós morte de Gugu e é elogiada pelos internautas

REFLEXÕES DA ATRIZ FORAM BEM RECEBIDAS PELOS INTERNAUTAS. FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

A atriz global Marina Ruy Barbosa utilizou o Twitter para deixar seu ponto de vista sobre internautas que usam a internet para chamar a atenção de forma errada e começam a seguir pessoas pós “morte anunciada” e homenagens pós morte. A reflexão da atriz foi em menção a quantidade de seguidores nas redes sociais de Gugu que aumentou depois do óbito do apresentador e as demonstrações de afeto de fãs e artista considerada “mórbida” por Marina. Outra crítica foi a questão das selfies durante o velório do apresentador.

“Velório não é lugar pra tirar foto/selfie”, comentou Marina.

“Uma coisa que não entendo e acho mórbido: Por qual motivo uma pessoa que morreu, ganha milhares de seguidores nas redes sociais? Qual o intuito de seguir alguém depois da morte anunciada?!”, começou.

Na sequencia, a atriz fala sobre as declarações de afeto feitas somente após a morte. “Eu fico pensando quando alguém morre… E vejo tantas homenagens… Será que essa pessoa sabia que era tão amada? Que tinha tanta gente que se importava com ela? Será que ainda -em vida-, essas pessoas mostravam seu carinho pra ela?”, desabafou.

Marina também respondeu seguidores que comentaram seus questionamentos. Os internautas, aliás, apoiaram o posicionamento da atriz:

O fato é que Marina Ruy Barbosa tratou sobre um tema que ninguém fala e, de forma respeitosa, desabafou sobre a realidade quando disse que temos que “celebrar, dar carinho e apoiar os outros em vida”. Não que demonstrações de afeto para a família que sofre sejam erradas, os familiares necessitam de consolo. Quanto ao que se foi ou quem ele foi, como diz Marina, “Vamos aproveitar a VIDA pra homenagear, amar, prestigiar, seguir, dar like, ligar, mandar mensagens, apoiar… É tão bom e necessário receber carinho”.

No caso do Gugu, podemos dizer que ele recebeu essa atenção enquanto esteve aqui. Seus fãs, familiares e amigos sempre demonstraram afeto, agora, seguem as recordações do homem que foi e a reflexão sobre o quanto a vida é breve e que demonstrar amor enquanto há vida é a melhor opção. Amar o outro até seu último suspiro, é uma missão.


Comente aqui