Artigo

ARTIGO: O retorno da Covid-19, o legado da campanha e a cobiça pelo Fundo Partidário

FOTO: ILUSTRAÇÃO

Por Osni Damásio

A Covid está voltando em vários estados. No Rio Grande do Norte o quadro não é diferente. Coincidência ou não, o avanço do vírus acontece logo depois das eleições .

Em plena campanha, no interior do RN  tinha festa todo dia com grandes aglomerações. Os candidatos vibravam com o povo sem máscara nas carreatas. Ninguém se lembrou que o vírus continua solto e fazendo vítimas.

 A piada , é que passada a eleição, tem político fazendo discurso contra qualquer tipo de aglomeração.

Como jornalista e acompanhando os fatos políticos do estado e da nação, vi, ao longo dos anos, muitos representantes do povo(?)  sair em defesa das eleições unificadas, ou seja, a votação para vereador, prefeito, deputado, senador e governador seria realizada no mesmo dia.

O argumento favorável é que eleição a cada dois anos tem um custo muito alto para a nação.

Eu pergunto: a Pandemia não seria um motivo muito justo para jogar as eleições municipais para 2022? Claro que não, pois os políticos  queriam botar a mão no milionário Fundo Partidário.

 Para eles, que se dane a Covid e a saúde do povo.

Tudo bem, os democratas descartavam qualquer possibilidade de adiar as eleições.

Vocês venceram.

Agora, não seria prudente ter feito a eleição e, pensando no bem estar e na saúde da população , ter proibido qualquer tipo de aglomeração?

 A campanha seria feita apenas no rádio e na televisão. Onde estavam as pessoas e os poderes que fecharam os olhos para essa situação?

Quem vai assumir a culpa pelo avanço do vírus?

Nessa hora , não aparece um cristão para dizer que errou. Vai terminar o povo sendo o culpado por que foi pra rua correr atrás de políticos.

*Osni Damásio é jornalista profissional

*As ideias e opiniões expressas por colaboradores são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões do Blog


Comente aqui