Política

ARTIGO: As oligárquicas do RN continuam brigando pelo poder

Por Joaquim Pinheiro

A política do Rio Grande do Norte sempre foi marcada pela hegemonia de famílias tradicionais revezando e dominando o poder desde os tempos dos Maranhão.

Destaque nesse contexto para as oligarquias Alves, sob a liderança de Aluízio, Maia, que teve no ex-prefeito de Natal, ex-governador do Estado e ex-senador José Agripino Maia o líder maior, e os Rosado com Dix-Sept, ex-governador, morto num acidente aéreo em pleno exercício do mandato. O sobrenome Mariz, com Dinarte à frente do clã, exerceu liderança por muito tempo na política do Estado.

Dinarte, foi o personagem central da família, chegando a ocupar o cargo de governador e senador da República e a secretaria-geral do Senado, segundo cargo mais importante depois da presidência. Dinarte Mariz foi um dos políticos de maior prestígio no ciclo dos governos militares.

Outros políticos do Rio Grande do Norte tentaram formar uma outra força, a exemplo do ex-senador Carlos Alberto e até Wilma de Faria, mas não conseguiram barrar o protagonismo das famílias naquele momento, que se dividiam e formavam outras alianças políticas circunstanciais para conquistar o Poder.

Num passado não muito distante os Rosado digladiavam-se na busca do poder, da mesma forma como Alves e Maia também estiveram divididos e em palanques diferentes em algumas situações e com os mesmos objetivos.

O maior “especialista em briga familiar pelo Poder” é o ex-prefeito Carlos Eduardo, que afastou-se da família, inclusive do pai, Agnelo Alves, para ficar ao lado de Wilma de Faria, então prefeita de Natal, pensando na prefeitura.

Na eleição deste ano, Jaime Calado, que é casado com a senadora Zenaide Maia, duela com o cunhado João Maia em vários municípios do Estado, notadamente São Gonçalo do Amarante e Caicó, numa demonstração de que caminharão desunidos no pleito deste ano e em 2022 também.

Existem evidências de uma aproximação de João Maia, do PL, com o governo Bolsonaro, enquanto Zenaide e Jaime devem subir no palanque da governadora petista, Fátima Bezerra.

A senadora Zenaide, do Pros, pretende disputar o Governo do Estado, caso a atual governadora não melhore nas pesquisa e decida optar pelo plano “B”, sendo candidata à senadora, deputada federal ou deputada estadual.

João Maia caminha para um entendimento com o prefeito Álvaro Dias (PSDB), onde está também o deputado Ezequiel Ferreira, atual presidente da Assembleia Legislativa, possível candidato a senador. Político habilidoso e bom articulador, Ezequiel não pretende mais ser candidato a deputado estadual.

A desavença de Zenaide e Jaime (que também pretende ser candidato a deputado federal) com João Maia (candidato à reeleição de deputado federal), é uma prova de que as oligarquias do Rio Grande do Norte continuam brigando pelo Poder.

Joaquim Pinheiro é jornalista profissional.

(artigos assinados não refletem necessariamente a opinião do Blog do FM)



Comente aqui