TV

Apresentador do Brasil Urgente no RN é processado por criticar falas homofóbicas de Sikêra Jr

FOTO: REPRODUÇÃO/BAND

Jacson Damasceno, apresentador do “Brasil Urgente” da Band Natal, no Rio Grande do Norte, foi notificado de um processo movido contra ele pelo também apresentador Sikêra Júnior, da Rede TV, por ter criticado as falas homofóbicas proferidas por Sikêra Jr, em um programa de junho deste ano. Uma audiência de conciliação virtual foi marcada para o dia 20 de outubro.

“Fiquei bastante surpreso quando recebi a notificação da Justiça do Amazonas há cerca de dez dias. Nunca imaginei que pudesse ser processado pelo que disse no ar porque eu não o ofendi em absolutamente nada, eu só defendi as pessoas que ele agrediu e agride nos comentários dele, naquele caso, as pessoas LGBTQIA+”, comentou Jacson durante conversa com a Agência Saiba Mais nesta quinta (23).

Os advogados de Sikêra pedem indenização de cerca de R$ 45 mil e argumentam que seu cliente foi exposto e ridicularizado em programa televisivo de alcance mundial, o que causou danos à sua imagem e honra. Em um programa veiculado no dia 25 de junho, Sikêra Jr disse que homossexuais são “raça desgraçada”, “nojentos”, “raça do cão” e que pessoas não heterossexuais não eram “normais”, ao comentar uma propaganda do Burguer King sobre o Dia do Orgulho LGBTQIA+. Discursos semelhantes ocorreram em, pelo menos, três ocasiões apenas no mês de junho. Em uma delas Sikêra Jr fala em “matar gays”.

No dia seguinte à veiculação do programa, o apresentador bolsonarista perdeu o financiamento de sete patrocinadores por causa de suas declarações preconceituosas e discriminatórias, entre eles, da MRV, Hapvida, Ford e Novo Mundo. A Nívea, a Tim e o Magazine Luíza comunicaram que bloquearam o canal do apresentador no Youtube, para que seus comerciais não apareçam durante o programa da Rede TV.

“Já estou conversando com os advogados e estamos estudando o que vai ser argumentado. Mas não tem muito mistério não, quando estamos com a verdade não é preciso criar estratagemas, nem combinar versões porque só vou falar a verdade: Como veio a ideia de comentar o assunto, qual o objetivo. Estou muito tranquilo, não fiquei nem chateado ou revoltado, só fiquei realmente surpreso”, afirmou Jacson bem humorado”.

O Ministério Público Federal ajuizou ação civil pública tanto contra a emissora, quanto contra o apresentador por causa das falas discriminatórias e preconceituosas contra a população LGBTQIA+. Na avaliação do MPF, Sikêra Jr associou a prática de pedofilia e uso de drogas à homossexualidade. O processo requer a exclusão na íntegra do programa veiculado no dia 25 de junho dos sites e redes sociais do apresentador e da emissora, indenização, além de uma retratação pública nos mesmos meios e tempo utilizado para cometer as agressões.

Com informações da Agência Saiba Mais


Comente aqui