Brasil

Apreensão de cocaína mais que dobrou em quatro anos, aponta relatório da Polícia Federal; no RN foram 15,8 toneladas entre novembro de 2018 e dezembro de 2019

OS DADOS APRESENTADOS PELO DIRETOR-GERAL DA PF, MAURÍCIO VALEIXO, MOSTRAM QUE O VOLUME DA DROGA APREENDIDO VEM CRESCENDO GRADUALMENTE ANO APÓS ANO. FOTO: DIVULGAÇÃO/PRF

A apreensão de cocaína pela Polícia Federal (PF) mais que dobrou entre janeiro de 2016 e novembro de 2019, passando de 39 toneladas para 98,4 toneladas, um acréscimo de quase 150% em menos de quatro anos. O resultado, que não é definitivo, foi divulgado nesta quinta-feira, 12, durante balanço das ações realizadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública ao longo deste ano. Só no Porto de Natal foram movimentadas 15,8 toneladas da droga entre novembro de 2018 e dezembro deste ano.

Os dados apresentados pelo diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, mostram que o volume da droga apreendido vem crescendo gradualmente ano após ano. Em 2016, só a PF tirou de circulação 39 toneladas de cocaína. Em 2017, o volume atingiu 46 toneladas. Em 2018, pouco mais de 73 toneladas foram apreendidas.

Até o início de dezembro deste ano, o resultado já superava as 98,4 toneladas. A expectativa de Valeixo é que, até o fim do mês, o total supere as 100 toneladas. “Isso demonstra acréscimo, em razão do perfil de trabalho que vem sendo desenvolvido pela unidade especializada no combate internacional ao tráfico de drogas”, afirmou o diretor-geral.

O resultado vai na contramão da apreensão de maconha pela Polícia Federal. Após um salto em 2017, quando foram confiscadas quase 326 toneladas da erva, o volume apreendido passou a cair: foram 251 toneladas em 2018 e 223 toneladas em 2019.

A queda pode ser explicada pelo maior número de pés de maconha localizados e destruídos por policiais federais, cerca de 3,4 mil toneladas. O número,  segundo Valeixo, representa um recorde e supera a soma dos resultados registrados em 2017 (1,01 tonelada) e em 2018 (1,45 tonelada).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também acusou aumento de 26% na apreensão de cocaína durante os últimos 11 meses, em comparação ao total do ano passado, totalizando 23 toneladas apreendidas apenas nas rodovias federais.

Movimentação no Porto de Natal

O tráfico internacional de drogas movimentou pelo menos 15,8 toneladas de cocaína no Rio Grande do Norte entre novembro do ao passado e dezembro deste ano. Parte da cocaína foi interceptada pela Polícia Federal em seis operações e outra pela polícia internacional, em especial holandesa. A última apreensão em solo potiguar aconteceu no último sábado, dia 7, quando 1,2 toneladas da droga foi encontrada em um contêiner que estava a caminho do Porto de Natal e em galpões em Parnamirim. O Porto de Natal ainda opera sem escâner de carga.

Entre os dias 25 de novembro e 2 de dezembro, outros 550 kg de cocaína foram interceptados na Holanda dentro de caixas de frutas exportadas através do Porto de Natal. A quantidade é a soma de três operações das autoridades holandesas e confirmada pela Receita Federal nessa segunda-feira, 9. Outras 7,1 toneladas identificadas em cargas de frutas saídas de Natal foram apreendidas na Holanda desde novembro do de 2018.

Na apreensão do último sábado, 7, a droga estava dividida em quatro locais: um contêiner transportado por um caminhão em direção ao Porto de Natal e em três galpões em Parnamirim, escondidas por trás de paredes falsas. Sete pessoas foram presas em flagrante após a polícia identificar “movimentações atípicas” e a entrada de um caminhão com contêiner em um dos galpões, um desses galpões, inclusive, foi alugado com documentos falsos.

Com informações: Agência Brasil


Deixe um Comentário