Esporte

América é citado nas investigações da Lava Jato, diz ESPN

(FOTO:EDUARDO MAIA/NOVO JORNAL)

(FOTO:EDUARDO MAIA/NOVO JORNAL)

O blog da jornalista Gabriela Moreira, da ESPN Brasil, destaca nesta quarta-feira (4) que o América foi citado em uma investigação do procurador-geral da República Rodrigo Janot sobre a operação Lava Jato. Segundo a PGR, um

a das mensagens citadas no documento cita o ex-deputado Henrique Eduardo Alves como intermediário de uma negociação que envolve as cadeiras e patrocínio da Arena das Dunas, estádio que foi construído pela OAS – empresa que está envolvida na operação Lava Jato.

“No pedido de investigação do ex-presidente Lula e do deputado Eduardo Cunha feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o clube América-RN é citado. No relatório da PGR, entregue na última segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal, foi transcrita uma mensagem entre executivos da OAS, empresa que construiu o o estádio e está envolvida na operação Lava-Jato.

De acordo com o documento, o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, envia mensagem para um filho do dono da construtora a respeito da Arena das Dunas.

‘Henrique Alves me ligou x nossa negociação com o América de Natal. Falo-me do nº de cadeiras: 1650 para 2000. E do valor mensal: 50 mil para 100 mil. Vc vê com Cadu? Bjs’

Segundo as investigações, a mensagem foi enviada em 26 de março de 2013, às 17h47min48s.

Na mesma época, o América-RN fechou negociação para usar a Arena, construída pela OAS, para a Copa, além de contrato de patrocínio de R$ 100 mil por mês.

O diálogo foi transcrito na página 10 do pedido, no capítulo que tem o objetivo de mostrar “novas provas colhidas” para embasar pedido de investigação sobre Lula, Cunha e outras pessoas com foro privilegiado, entre elas o ex-parlamentar Henrique Eduardo Alves. Á época da interceptação da conversa citada na reportagem, ele fazia campanha para governador do Rio Grande do Norte.

Léo Pinheiro é ex-sócio e ex-presidente da construtora. Ele foi condenado há 16 anos de prisão pela operação Lava-Jato.

Novo Jornal


Deixe um Comentário