Polícia

Agentes entram em Alcaçuz e situação no presídio está sob controle; juiz Henrique Baltazar destaca no Twitter despreparo do Estado

BALTAZAR 00

baltazar

A Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social anuncia através do Twitter que agentes de segurança entraram na manhã deste domingo, dia 15, no presídio de Alcaçuz e que a situação a situação na unidade prisional já está controlada, sem a ocorrência de qualquer conflito com os presos. A partir das 10hs, será realizada uma coletiva de imprensa com o secretário de Segurança Pública, Caio Bezerra, para detalhar as ações policiais no presídio de Alcaçuz.

As tropas invadiram a unidade prisional por volta das 5h30 deste domingo (15), mais de 14 horas após o início do motim. O número de mortos ainda não foi confirmado.

O clima no em torno do presídio, no entanto, ainda é tenso. No início da manhã, presos foram avistados sobre o teto dos pavilhões do presídio, assim como uma fumaça escura saindo de uma das alas da penitenciária. Há sinais de deterioração da estrutura.

SUGESTÕES

Já o juiz da Vara de Execuções Penais, Henrique Baltazar, também destaca em sua conta no micro blog Twitter que a gestão do governo do estado não está preparada para enfrentar demandas decorrentes do sistema penitenciário, a exemplo da rebelião que teve início neste sábado no presídio de Alcaçuz.

Na sua página no Facebook, Baltazar deixa claro que o governo  não teria levado em consideração sugestões por ele emitidas, como a nomeação de um nome experiente para a Secretária de Justiça e Cidadania, que tem como titular o secretário Walber  Virgulino. Seguem as sugestões que Baltazar deu ao governo do RN:

1. No início inicio nomear alguém experiente para a Sejuc;
2 – construir emergencialmente vários pequenos presídios, diminuindo a superpopulação de Alcaçuz, PEP e outros maiores;
3 – contratar agentes Penitenciários temporários;
4 – apressar a construção da nova cadeia de Ceará Mirim;
5 – manter um presídio de maior segurança para os presos mais perigosos;
6 – escolher com cuidado os diretores de unidades prisionais;
7- usar os recursos do Fundo Penitenciário, equipando os presídios

 

 


Deixe um Comentário