Brasil

Aéreas passam a conta da pandemia à clientela

FOTO: DIVULGAÇÃO

As companhias aéreas, nacionais e internacionais, atuando no Brasil estão explorando consumidores livremente para recuperarem o prejuízo da pandemia, sem serem incomodadas pela Anac, que deveria regular o setor. Depois de garantirem medida provisória para não precisar devolver o dinheiro de quem teve os voos cancelados, transformaram em crédito, embutiram multas e taxas para inviabilizar o uso do crédito. Na KLM, voo Paris-SP custa R$5,7 mil. Usando o crédito, o cliente pagaria R$6,1 mil.

Segundo a KLM, o crédito de R$1,4 mil que o cliente tem direito é inferior à multa. Ao optar pelo reembolso, o cliente só receberá 30% do valor.

A legislação prevê emissão sem multas e taxas apenas se tiver origem e destino iguais à cancelada. Como se o compromisso fosse o mesmo.

A KLM é a mesma companhia que em conjunto com a Air France, passou a cobrar taxa extra se o cliente optar por usar o cartão de crédito.

Diário do Poder


Comente aqui