Política

Candidato a deputado estadual, Adjuto Dias defende “voto casado” em Carlos Eduardo; ex-prefeito diz que Dias irá ajudá-lo na segurança pública

ADJUTO DIAS: “TEMOS QUE COLOCAR ALGUÉM COM GESTÃO APROVADA E ESSA PESSOA É CARLOS EDUARDO”

O candidato a deputado estadual Adjuto Dias (MDB) está recomendando aos eleitores do Rio Grande do Norte o “voto casado” nele e no ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, candidato ao governo do Estado pelo PDT. Delegado de polícia civil com atuação na Paraíba, onde contribuiu para a redução da taxa de criminalidade naquele estado, Dias destaca que, eleito deputado estadual, precisará ter ao seu lado um governante com capacidade de executar e assimilar as sugestões com as quais pretende contribuir para minimizar os problemas na área de segurança pública que o estado enfrenta.

“Temos que colocar alguém com gestão aprovada e essa pessoa é Carlos Eduardo, que tem experiência administrativa e vai fazer um governo que olhe para as pessoas, que não seja apenas de propaganda, como tem uns por aí”, ressaltou o delegado de Polícia Civil.

Adjuto Dias criticou ainda o caos administrativo que impera no Rio Grande do Norte, cuja população convive diariamente com a falência dos serviços públicos.   “A gente vive um dos momentos mais difíceis. Os serviços públicos não funcionam. Até pouco tempo os salários estavam atrasados e o décimo terceiro de 2017 ainda não foi pago. Nós não aceitamos os rumos que o RN está tomando”, assinalou.

Carlos Eduardo, por sua vez, ratificou as palavras de Adjuto Dias, destacando que este vai “qualificar o debate sobre segurança” na Assembleia Legislativa .

Para o ex-prefeito de Natal, se eleito governador, irá precisar da colaboração de Dias para desenvolver uma política de segurança pública para o Rio Grande do Norte. “A gente está com sérios problemas na Segurança Pública, algo que precisa ser enfrentado. Mas o Rio Grande do Norte tem um candidato que é delegado de Polícia e que entende do assunto. E que vai pra Assembleia qualificar o debate sobre segurança, e, ainda, vai nos ajudar na política de segurança que queremos implementar a partir do dia primeiro de janeiro, quando começarmos a governar o estado”.


Deixe um Comentário