Brasil

Acusado de matar Marielle Franco vai permanecer preso em Mossoró

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF) NEGA PEDIDO FEITO PELA DEFESA DE RONNIE LESSA COM O OBJETIVO DE QUE ELE FOSSE TRANSFERIDO DO RN PARA O RIO DE JANEIRO. FOTO: ALEXANDRE BRUM/AG NCIA O DIA/AG NCIA O DIA/ESTAD√O CONTE⁄DO

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido da defesa de Ronnie Lessa, acusado de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes. Os advogados tentaram transferi-lo para um presídio no Rio de Janeiro.

Ronnie Lessa está preso em Mossoró, desde em 29 de março. Junto com ele também está preso na penitenciária potiguar o ex-policial Élcio Queiroz, que foi expulso da Polícia Militar; e teria dirigido o carro no dia do crime.

No pedido de transferência, a defesa alegou que a transferência para Mossoró foi uma medida extrema e desnecessária. E que não ficou comprovado que o presídio de Bangu I seria insuficiente para mantê-lo preso.

Ainda de acordo com a defesa, o fato de Lessa, um policial militar reformado, ainda ter vínculos de amizade com policiais da ativa não pode servir como fundamento para sua manutenção em Mossoró.

A transferência para o presídio federal foi determinada pela 4ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. Marielle Franco e Anderson Gomes foram assassinados com vários tiros dentro do carro da parlamentar, no centro do Rio de Janeiro, no dia 14 de março de 2018.

Apesar de ter indicado os supostos responsáveis pela morte, até hoje – um ano e meio após o crime – a polícia não conseguiu indicar qual a motivação do crime nem quem teria mandado matar Marielle Franco e Anderson Gomes.

OP9


Deixe um Comentário