Brasil

Abate de jumentos cresce 8.000% no Brasil e já ameaça a espécie

FOTO: GETTY IMAGES

O abate de jumentos, animal com grande valor cultural para o Brasil, cresceu 8.000% de 2015 para cá, período em que foram registradas 91.645 mortes desse tipo de equídeo no país. A cifra, segundo especialistas, é muito elevada e pode levar à extinção da espécie, muito comum nos sertões brasileiros.

No caso dos jumentos, é a pele que tem grande valor comercial, movimentando um mercado (legal e ilegal) milionário, sobretudo para exportações. No Brasil, a atividade já era legalizada, mas passou a contar com um arcabouço legal bem mais amplo a partir de 2017, quando um decreto ordenou de forma mais clara esse tipo de abate no país.

Para se ter uma ideia do crescimento desse mercado, de 2010 a 2014 aproximadamente 1.000 jumentos foram mortos e destinados a esse fim, um número contrastante quando olhamos para os quase 92 mil registrados no período mais recente.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP, que trabalham o manejo e o bem-estar desses animais, em artigo publicado numa edição especial do Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, explicaram que, nessa velocidade, será inevitável a extinção da espécie, uma vez que os jumentos estão sendo mortos numa marcha muito maior do o tempo de reprodução dele.

Portal Forum


Comente aqui