Cidades

450 famílias do RN serão beneficiadas com assistência técnica do Crédito Fundiário

O PROGRAMA NACIONAL DE CRÉDITO FUNDIÁRIO (PNCF) OFERECE CONDIÇÕES PARA QUE OS TRABALHADORES E TRABALHADORAS SEM TERRA OU COM POUCA TERRA POSSAM COMPRAR IMÓVEL RURAL POR MEIO DE UM FINANCIAMENTO.

O Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) contemplará 450 famílias de agricultores familiares dos municípios de Apodi, Caraúbas, Baraúna, Felipe Guerra, Grossos, Mossoró, Paraú, Tibau e Upanema com trabalhos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

Através de Chamada Pública realizada pela Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), a Cooperativa Terra Viva, contratada para realizar as atividades, irá executar os trabalhos nas Unidades Familiares de Produção Agrária (UFPA) do PNCF até dezembro de 2020.
O objetivo da ação é criar mecanismos que promovam o acesso dos agricultores familiares às políticas públicas, sobretudo PRONAF, PAA, PNAE; incorporar um processo de formação contínua na perspectiva da convivência com o semiárido; recuperar a parte produtiva e ambiental dos projetos, considerando a disponibilização e geração de técnicas e práticas sustentáveis de produção, diversificação de produtos e segurança alimentar e nutricional das famílias; entre outros.

“A orientação da governadora é no sentido de fortalecer ações como essa, que buscam construir inciativas sustentáveis para a Agricultura Familiar no RN”, destacou Alexandre Lima, titular da Seara. Segundo o gestor, a Secretaria de Estado de Assuntos Fundiários e Apoio à Reforma Agrária (Seara), órgão que executa o programa no estado, dará todo o aporte para que esse inciativa contribua com o desenvolvimento das famílias.

Programa Nacional de Crédito Fundiário

O Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) oferece condições para que os trabalhadores e trabalhadoras sem terra ou com pouca terra possam comprar imóvel rural por meio de um financiamento. Além da terra, os recursos financiados podem ser utilizados na estruturação da propriedade e do projeto produtivo, na contratação Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) e no que mais for necessário para que o agricultor venha desenvolver suas atividades de forma independente e autônoma.


Deixe um Comentário