Últimas do FM

Governo

Cosern cobra ao governo Fátima Bezerra dívida de R$ 11,5 milhões deixada pelo ex-governador Robinson Faria

REPRESENTANTES DA COSERN APROVEITAM REUNIÃO NA SEPLAN PARA COBRAR AO GOVERNO FÁTIMA BEZERRA DÉBITO MILIONÁRIO DEIXADO POR ROBINSON FARIA

A Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) está cobrando a governadora Fátima Bezerra uma uma dívida de R$ 11,5 milhões, que teria sido deixada pelo governador Robinson Faria.

A cobrança ocorreu durante uma reunião entre representantes da Cosern e auxiliares de governo, na manhã desta quinta-feira (21),  na Secretaria de Estado de Planejamento e das Finanças (Seplan).

O objetivo inicia da reunião seria a discussão deum projeto de eficiência energética, volta para o melhor controle de gastos e a consequente economia na conta de energia pelo Executivo.

Para isso, técnicos da Cosern prometeram entregar uma planilha de cada unidade consumidora de energia da máquina do Estado. Hoje, essa conta é generalizada, sem a identificação dos custos de cada órgão.

A partir dessa planilha que a Cosern irá elaborar até a próxima segunda-feira, o governo promete que vai emitir uma proposta de pagamento do débito.

O secretário de Planejamento, Aldemir Freire, disse que  “Por hora, prometemos honrar as contas desta gestão junto à Cosern”.

Depois dessa, a Cosern não devia ficar muito animada não.

Se receber a “bufunfa” atrasada será um milagre divino.

Os servidores que o digam…

Natal

CODERN nega que a empresa CMA-CGM vá deixar de atender aos exportadores de frutas.

Navio Saint Laurent, da CMA-CGM atracado no porto de Natal. (Arquivo, 2016) — Foto: Carla Belke

NAVIO SAINT LAURENT, DA CMA-CGM ATRACADO NO PORTO DE NATAL. (ARQUIVO, 2016) — FOTO: CARLA BELKE

Em Nota à Imprensa, a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) nega que a CMA-CGM, única empresa transportadora com operação Porto de Natal e rota de exportação de frutas potiguares para a Europa, vá suspender  as atividades no terminal após as operações que apreenderam quase 3,3 toneladas de cocaína dentro de contêineres, nos dias 12 e 13 de fevereiro.

De acordo com a Nota, a empresa se diz disposta a continuar atendendo aos clientes locais, exportadores de frutas.

Segue abaixo a Nota da CODERN:

Nota à Imprensa

A Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN) recebeu comunicado nesta quinta-feira (21) da CMA-CGM, reafirmando sua disposição em continuar sendo um ator de destaque no Porto de Natal e continuar sua contribuição com o desenvolvimento do Nordeste, atendendo aos clientes locais, exportadores de frutas.

Em nenhum momento a empresa disse que vai encerrar suas atividades no Porto de Natal. Ao contrário, segue com a programação de navio para o próximo dia 06 de abril. E em março, várias operações portuárias estão programadas sob o acompanhamento de sempre da Receita Federal, Polícia Federal, Anvisa, Ministério da Agricultura e Capitania dos Portos.

Enfatizamos que o pleito para a instalação de um scanner para contêineres no Porto de Natal já foi feito ao Governo Federal em outras ocasiões, não tendo sido possível o atendimento em virtude da crise econômica que atingiu o Brasil, mas reiteramos que novos diálogos já foram iniciados e já estamos fazendo uma atualização orçamentária para a possível compra do equipamento.

Assessoria de Comunicação
Companhia Docas do Rio Grande do Norte – CODERN

    
Mercado Imobiliário

Solar Sinatra: Em lançamento, condomínio de alto padrão tem 80% das unidades comercializadas

EDIFÍCIO DE ALTO PADRÃO SOLAR SINATRA, SERÁ CONSTRUÍDO EM SISTEMA DE OBRA DE CONDOMÍNIO FECHADO A PREÇO DE CUSTO

Os empresários Luís Dias Macedo e Roberto Peres, à frente das imobiliárias Aliança e Peres&Peres, respectivamente, comemoram a repercussão positiva do lançamento do edifício de alto padrão, Solar Sinatra, a ser construído em sistema de obra de condomínio fechado a preço de custo. Em apenas 60 dias, o empreendimento teve 80% das unidades comercializadas.

Macedo e Peres são os organizadores do grupo de futuros moradores que devem poupar até 30% no valor do metro quadrado de construção, já que, neste tipo de obra as pessoas se unem para ratear custos e contratar a empresa responsável por erguer o prédio. No caso do Solar Sinatra, a construtora escolhida é a Escol Engenharia.

Localizado na divisa entre Petrópolis e Areia Preta, o prédio terá 27 andares com o grande diferencial da vista panorâmica do mar, possível de ser deslumbrada de todos os espaços do apartamento.

ERICK MACEDO, LUIS DIAS MACEDO E ROBERTO PERES COMEMORAM SUCESSO DO EMPREENDIMENTO SOLAR SINATRA


Internacional

Governador de Roraima diz que fronteira com a Venezuela já está fechada, seis horas antes do prazo dado por Maduro

Boletim: Maduro anuncia que o governo vai fechar a fronteira da Venezuela com Brasil

FRONTEIRA COM A VENEZUELA FOI FECHADA ÀS 15H DE HOJE, SEIS HORAS ANTES DO QUE HAVIA SIDO ANUNCIADO PELO DITADOR NICOLÁS MADURO

Antonio Denarium, o governador de Roraima, disse que a fronteira com a Venezuela foi fechada às 15h de hoje, seis horas antes do que havia sido anunciado pelo ditador Nicolás Maduro.

Denarium, que está em Brasília,  afirmou que a ideia é manter no estado o apoio logístico para que os caminhões venezuelanos sejam abastecidos com alimentos e remédios, registra a Folha.

Até a última atualização desta reportagem, não havia manifestação oficial do Brasil sobre a decisão do governo venezuelano de fechar a fronteira. Consultada, a Secretaria de Comunicação da Presidência informou que o assunto é analisado pelo Ministério das Relações Exteriores. Procurado, o ministério não se manifestou.

O estado de Roraima fica na fronteira com a Venezuela e se tornou nos últimos anos a principal porta de entrada de imigrantes que fogem da crise política, econômica e social que vive o país.

Denarium está em Brasília, onde discutiu com o governo federal a entrega de ajuda humanitária aos venezuelanos, anunciada pelo Palácio do Planalto na terça-feira (19).

Para o governador, um dos reflexos do fechamento da fronteira será a entrada de venezuelanos no Brasil por fora dos pontos oficiais de controle.

“Vai é inibir aquelas pessoas que querem entrar de forma legalizada. Elas não vão entrar, vão ficar esperando a fronteira abrir”, declarou.

O governo brasileiro enviará alimentos e medicamentos até as cidades de Boa Vista e Pacaraima, em Roraima. A intenção é que os produtos sejam retirados no Brasil por venezuelanos, que para isso cruzariam a fronteira em caminhões.

“Não vai impedir a distribuição da ajuda humanitária. Acredito que, mesmo que esses gêneros alimentícios e medicamentos estejam em território brasileiro, não teria dificuldades em distribuir isso entre os venezuelanos, mesmo com a fronteira fechada. É atravessar e pegar a ajuda”, disse o governador.

Fonte: O Antagonista e G1