Saúde

Servidores em greve farão ato no Deoclécio Marques, contra irregularidades e escorpiões

Nesta segunda-feira, os servidores da saúde do estado aprovaram em assembleia a continuidade da greve iniciada no dia 22 de junho e a realização de um ato no hospital Deoclécio Marques. O ato nesta terça (12), a partir das 09h, irá denunciar a falta de transparência na fila de cirurgias do hospital, a infestação de baratas e escorpiões, a sobrecarga de trabalho e a quarteirização da mão de obra.

O Sindsaúde aponta indícios de ingerência política na seleção das cirurgias que são realizadas no hospital e questiona ainda o uso indevido do hospital por cooperativas. O sindicato denuncia que não há transparência na fila de cirurgias, e que muitos pacientes aguardam há mais de quarenta dias pelo procedimento. “As pessoas estão esperando aqui há semanas, muito antes de a greve começar. A Sesap não pode culpar a greve”, denuncia João Assunção, diretor do Sindsaúde.

O sindicato apresentou uma denúncia ao Ministério Público Federal, no dia 06, pedindo que fosse aberta uma investigação sobre denúncias de ingerência política. O Sindsaúde anexou um mapa da Ortopedia, com cirurgias marcadas e observações de quem indica o paciente, incluindo a subsecretária de Saúde, Denise Aragão, ex-diretora do hospital, a própria Secretaria de Saúde e médicos.

“Não deveria haver nenhum tipo de indicação, de recado. O diretor à saúde é igual para todos. Deveria ter uma fila de cirurgias e pronto, e transparente para que todos acompanhem”, defende João Assunção, diretor do Sindsaúde. O sindicato também avalia como incomum o fluxo de pacientes de determinados municípios. “ Esse é um ano eleitoral, e sabemos como tudo é usado como moeda de troca para compra de votos. Temos que permanecer atentos”, alerta João.

O sindicato pede ainda a investigação da grande quantidade de cirurgias realizadas no plantão noturno, pela cooperativa médica, sobrecarregando os técnicos do estado, e a quarteirização de serviços, com o pagamento e contratação de profissionais que não são do quadro do estado.

O protesto também irá denunciar a proliferação de baratas e escorpiões no hospital desde o começo do ano, inclusive na sala de repouso. Na sexta-feira (08), dois escorpiões apareceram no Centro Cirúrgico.



Deixe um Comentário