Natal

Sem segurança e após tiroteio, servidores fecham Pronto-Socorro do Santa Catarina

Hospital-Santa2

RECEPÇÃO SERÁ FECHADA. ATENDIMENTO SERÁ FEITO APENAS EM CASO DE RISCO DE MORTE

 

Há dois dias sem nenhum segurança, devido ao não pagamento do salário dos vigilantes, os servidores do hospital Santa Catarina decidiram parar o atendimento a partir das 16h de hoje. A gota d’água foi uma perseguição policial e um tiroteio nas proximidades do hospital, por volta das 14h de hoje.

Os servidores irão fechar a recepção e a triagem, deixando de receber novos pacientes. Apenas os casos gravíssimos, com risco de morte, serão atendidos. Uma porta também será trancada, para isolar os servidores e pacientes. “Qualquer um vem da rua e entra aqui. Não temos como trabalhar desse jeito”, diz uma servidora do hospital que não quis se identificar.

Nos últimos dias, o Sindsaúde acionou a secretária estadual de Saúde, Eulália Albuquerque, e a chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, sem sucesso. Segundo a direção do hospital, o comando da Polícia Militar negou o pedido de reforço da segurança no hospital, por falta de contingente.

Os servidores irão encaminhar um documento à direção do hospital, com cópia ao Coren (Conselho Regional de Enfermagem), com os motivos do fechamento. “No mesmo dia em que suspendemos a greve no estado, os serviços são fechados por falta de condições. O caos na saúde não para, com greve ou sem greve”, afirma Simone Dutra, vice-coordenadora do Sindsaúde-RN.


Deixe um Comentário