Educação

Rafael Motta defende função de mediador de leitura dentro da Política Nacional do Livro

RAFAEL MOTTA NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO

Com objetivo de oficializar a função dos profissionais mediadores e garantir ações continuadas de estímulo e formação de leitores, o deputado Federal Rafael Motta (PSB) é autor do Projeto de Lei 9257/17, que inclui na Política Nacional do Livro a atividade do mediador de leitura.
 
De acordo com o PL do parlamentar potiguar, que integra a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, o poder público deverá promover a formação continuada das pessoas que trabalham na mediação de leitura, nos setores editorial, gráfico, criativo e livreiro em todo o território nacional.
 
Quem exerce essa função é profissional educador responsável por promover a leitura de livros em bibliotecas ou na rede de ensino, pública ou privada. “É muito importante ter uma pessoa assim para fomentar ainda mais a leitura, principalmente entre os jovens do nosso país”, disse.
 
Para embasar o Projeto, Rafael Motta citou a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil (2016), que foi desenvolvida pelo Ibope por encomenda do Instituto Pró-Livro. Com dados de 2015, o documento aponta que 44% dos brasileiros foram identificados como não leitores. Ou seja, não leram sequer um livro, inteiro ou em partes, nos três meses anteriores à pesquisa.
 
Motta argumenta que “mediadores de leitura são pessoas que estendem pontes entre os livros e os leitores e criam as condições para fazer com que seja possível que um livro e um leitor se encontrem”. 
 
O projeto será analisado pelas comissões de Educação; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Deixe um Comentário