Polícia

Polícia Federal prende dez suspeitos de preparem atos terroristas durante Olimpíada do Rio

O MINISTRO DA JUSTIÇA, ALEXANDRE DE MORAES, DURANTE ENTREVISTA: DEZ SUSPEITOS DE TERRORISMO PRESOS – ANDRÉ COELHO / O GLOBO

Dez brasileiros suspeitos de preparem atos terroristas durante a Olimpíada do Rio foram presos, nesta quinta-feira, pela Polícia Federal, informou o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em entrevista coletiva. Foram expedidos 12 mandados de prisão temporária por 30 dias, em 10 estados. As prisões, feitas no Amazonas, Ceará, Paraíba, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, foram as primeiras com base na lei antiterror, segundo adiantou o colunista do GLOBO, Lauro Jardim.

Segundo o ministro, o serviço de inteligência do governo detectou que o grupo preso passou de simples comentários, via Telegram e Whatsapp, para, de fato, “atos preparatórios” de ataques.

Os nomes dos presos não serão divulgados para assegurar a eventual realização de novas fases. Os presos estão sob custódia da Polícia Federal e o processo tramita em segredo de Justiça.

De acordo com o ministro, integrantes do grupo preso fizeram juramento de lealdade ao Estado Islâmico pela internet. Um deles teria entrado em contato com um site no Paraguai para comprar um fuzil AK 47. O grupo também trocou mensagem comemorando os recentes atentados em Nice, na França, e em Orlando, nos Estados Unidos.

– Houve um primeiro contato com o Estado Islâmico. Houve um juramento. Na sequência, houve uma série de atos preparatórios. Depois, esse grupo passou a entender que, com as Olimpíadas, o Brasil poderia se tornar uma alvo.

Segundo a Justiça Federal, quebras de sigilo de dados e telefônicos revelaram indícios de que os investigados preconizam a intolerância racial, de gênero e religiosa, além do uso de armas e táticas de guerrilha para alcançar seus objetivos.

Os artigos 3º e 5º da Lei 13.260, de 16 de março de 2016, que disciplina o terrorismo, prevê que é crime promover, constituir, integrar ou prestar auxílio, pessoalmente ou por interposta pessoa, a organização terrorista, assim como realizar atos preparatórios de terrorismo com o propósito inequívoco de consumar o delito.

O temor por atentados terroristas durante os Jogos Olímpicos está mobilizando o governo brasileiro e os de vários países que participarão da Olimpíada. Nesta terça-feira, o governo francês desmentiu que houvesse o planejamento de um ataque terrorista à delegação olímpica do seu país, que teria a participação de um brasileiro supostamente ligado ao Estado Islâmico. Segundo a França, a informação é falsa. Ela foi publicada no site da Assembleia Nacional francesa, sendo depois divulgada pelo jornal “Libération”, na quarta-feira da semana passada. O desmentido foi enviado ao Ministério da Defesa brasileiro pelo diretor de Inteligência Militar da França. No documento, ele afirma que a conclusão vem de um trabalho conjunto feito por órgãos de inteligência de vários países, incluindo o Brasil.

PUBLICIDADE

Na última quarta-feira, o governo da França solicitou ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil que reforce a segurança de escolas e consulados franceses. O pedido foi enviado pelo Itamaraty a 19 secretarias estaduais de Segurança, que determinarão como se dará o reforço.

Nesta segunda-feira, os aeroportos começaram a utilizar as novas regras da Agência Nacional de Aviação (Anac) para inspeção de passageiros e bagagens de mão em voos domésticos.

O Globo


Deixe um Comentário