Últimas do FM

Diversos

Polícia ainda não localizou bandidos que assaltaram o Carrefour da Zona Norte na noite de ontem

FUNCIONÁRIA DO SUPERMERCADO FOI ATINGIDA POR UM TIRO NA PERNA DURANTE ASSALTO

FUNCIONÁRIA DO SUPERMERCADO FOI ATINGIDA POR UM TIRO NA PERNA DURANTE ASSALTO

Até a amanhã de hoje, a polícia ainda não conseguiu localizar os bandidos que realizaram na noite de ontem um assalto dentro do supermercado Carrefour, localizado no shopping Norte Shopping, na zona norte de Natal. Uma funcionária do supermercado foi atingida por um tiro na perna no momento em que os assaltantes realizavam o crime, e foi removida para o Hospital Santa Catarina.
Segundo relatos de testemunhas, os dois homens entraram a pé e foram ao caixa. Eles anunciaram o assalto e, em determinado momento, um deles acabou atirando na funcionária.
Devido ao disparo, houve pânico dentro do supermercado e consequentemente em todo o shopping. Muitas pessoas que estavam no local saíram correndo ao saberem da ocorrência.
Os dois assaltantes fugiram a pé também e saírem pelo estacionamento chegaram a a atirar contra os vigilantes, que se deitaram não chão para escaparem dos tiros. A moça baleada na perna passa bem (com informações do Portal BO).

SUPERMERCADO CARREFOUR, LOCALIZADO NO SHOPPING NORTE SHOPPING, FOI ALVO DE ASSALTO

SUPERMERCADO CARREFOUR, LOCALIZADO NO SHOPPING NORTE SHOPPING, FOI ALVO DE ASSALTO


Política

Projeto de Serra sobre a Petrobras é aprovado e PT se sente traído por Dilma

APÓS A DERROTA, O SENADOR LINDBERGH FARIAS (PT-RJ) SE DIZ TRAÍDO PELA PRESIDENTA DILMA

APÓS A DERROTA, O SENADOR LINDBERGH FARIAS (PT-RJ) SE DIZ TRAÍDO PELA PRESIDENTA DILMA

O Senado aprovou, ontem, o projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que desobriga a Petrobrás de ser a operadora única e de ter participação mínima de 30% na exploração da camada do pré-sal, com um placar de 40 votos a 26. Ocorreram duas abstenções. O debate durou seis horas. A aprovação do projeto está sendo entre os aliados governistas como uma traição da presidenta Dilma ao PT.
Após a derrota, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) destacou a insatisfação com o resultado e passou rebico em nome do partido. “A mudança de orientação do governo, durante a tarde de hoje, nos deixou perplexos e desarmou nossa luta, abrindo mão do enfrentamento em prol de um péssimo acordo com o PSDB que causa um prejuízo enorme ao Brasil”, postou e sua página no Facebook.
Farias enfatizou ainda que “houve uma aliança do governo com o PSDB em cima da hora”, e destacou que o PT sempre se opôs ao projeto, acusando-o, e ao seu autor, de “entreguistas”.
Os blogs ligados ao PT expressaram toda a sua indignação com o recuo do governo. E, antes do fim da noite, o site “PT na Câmara” postou com destaque: “Parlamentares do PT rechaçam projeto entreguista de José Serra para o pré-sal” (com informações de O Globo).


Polícia

Em Parnamirim, homem após praticar assalto é morto a tiros por desconhecido

HOMEM IDENTIFICADO COMO TIAGO EVARISTO DA SILVA  FOI MORTO NA NOITE DESTA QUARTA-FEIRA EM PARNAMIRIM

HOMEM IDENTIFICADO COMO TIAGO EVARISTO DA SILVA FOI MORTO NA NOITE DESTA QUARTA-FEIRA EM PARNAMIRIM

Um homem identificado como Tiago Evaristo da Silva, 22 anos, foi morto na noite desta quarta-feira (24) no bairro Santos Reis, em Parnamirim após praticar um assalto.
Segundo populares ao 190rn, Tiago teria tomado de assalto uma corrente e acabou sendo perseguido por um homem não identificado que atirou e o matou em via pública.
Tiago que já respondeu por roubo e estava solto há apenas seis meses, teve o corpo recolhido pelo ITEP para realização de exames e em seguida será liberado para sepultamento (com informações do Portal 190RN).

Variedades

Johnson & Johnson terá que pagar indenização de US$ 72 milhões por talco ligado a câncer

TALCOS DA JOHNSON & JOHNSON SÃO ALVO DE MUITOS PROCESSOS NOS EUA - DIVULGAÇÃO

TALCOS DA JOHNSON & JOHNSON SÃO ALVO DE MUITOS PROCESSOS NOS EUA – DIVULGAÇÃO

A empresa Johnson & Johnson foi condenada por um tribunal do Estado do Missouri, nos EUA, a pagar uma indenização de US$ 72 milhões à família de uma mulher que teve sua morte por câncer de ovário ligada ao fato de ela ter usado, por mais de 35 anos, os talcos Baby Powder e Showder and Showder, ambos pertencentes à companhia.
O veredito foi anunciado na noite de segunda-feira, e os jurados decidiram que parentes da americana Jacqueline Fox deve receber da empresa US$ 10 milhões por danos reais e US$ 62 milhões por danos punitivos, de acordo com os advogados da família e os registros do tribunal.
A Johnson & Johnson enfrenta alegações de que, guiada por um esforço para impulsionar as vendas, acabou falhando durante décadas em alertar os consumidores de que seus produtos à base de talco podem causar câncer. Cerca de mil casos foram arquivados no tribunal do Estado de Missouri, e outros 200 em Nova Jersey. Esta é a primeira vez que uma empresa é condenada a pagar indenização por conta de um desses casos.
Moradora do Alabama, Jacqueline Fox morreu em outubro de 2015, aos 62 anos de idade. Ela havia usado talcos da Johnson & Johnson por mais de 35 anos antes de ser diagnosticada com câncer, três anos atrás. Os membros do juri que decidiu o caso alegaram que a companhia cometeu fraude, negligência e conspiração. O julgamento durou três semanas.
Advogado da família Fox, Jere Beasley afirmou, durante uma teleconferância com jornalistas, que a Johnson & Johnson “sabia do risco já na década de 1980” e ainda recorreu a “mentir ao público, mentir para as agências reguladoras”.
Já a porta-voz da organização, Carol Goodrich, disse que não há provas de que os produtos possam causar algum tipo de câncer.

Publicidade
— Estamos desapontados com o resultado do julgamento. Somos solidários à família, mas acreditamos firmemente que a segurança do nosso talco cosmético é comprovada por décadas de evidências científicas — afirma ela.
Já estão marcados para este ano vários julgamentos de vários processos relacionados a talcos que possivelmente causaram câncer, segundo a advogada Danielle Mason, que também defendeu a família Fox no tribunal.
Em outubro de 2013, o júri federal do Estado da dakota do Sul chegou a decidir que o uso ao longo de anos de produtos Johnson & Johnson’s body powder pela americana Deane Berg lhe teriam provocado câncer de ovário. No entanto, nenhuma indenização foi exigida (com informações de O Globo).