Últimas do FM

Cidades Cultura Geral Natal Social

Grupo de Teatro lança ação para incentivar a leitura nesta segunda (30)

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

O Grupo Estação de Teatro lança na próxima segunda-feira, dia 30, uma ação para incentivar a leitura e aproximar as crianças do universo dos contos tradicionais brasileiros. Através do projeto Estação Criança, a ideia é estimular a imaginação do público infantil e fortalecer conhecimento da cultura.

O projeto doará ao acervo das escolas da rede pública de ensino o Kit Estação Criança, composto por um CD duplo com histórias e canções populares e autorais que integram o repertório dos espetáculos de contação de histórias do grupo, visando o desenvolvimento de atividades educativas.

Também será entregue a chamada “Caixa Cascudo de Histórias”, que traz uma coleção de cartas ilustradas resumindo 20 contos populares colhidos pelo pesquisador da cultura popular brasileira Luís da Câmara Cascudo. O kit será distribuído para diversas escolas da rede de ensino pública de Natal.

O projeto Estação Criança contempla uma temporada de oito apresentações dos espetáculos infantis “Estação dos Contos” e “Um Sonho de Rabeca no Reino da Bicharada” para crianças de escolas da rede pública de Natal.

As apresentações acontecerão nos dias 01, 02, 08 e 09 de junho, com sessões às 9h e 14h30, no Auditório do Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte.

O Estação Criança é um projeto cultural do Grupo Estação de Teatro, aprovado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, e contemplado no Programa de Patrocínios Cosern 2015. A Cosern investe em diversas iniciativas de reconhecido mérito sociocultural e ambiental, por meio das Leis de Incentivo à Cultura Estadual e Federal, como elemento de integração da empresa com a sociedade e de contribuição para o desenvolvimento sustentável da região. Baseada no respeito aos costumes e culturas locais, no desenvolvimento da educação e na disseminação de valores socioambientais, a empresa seleciona projetos que tenham como característica a promoção da cultura e o desenvolvimento econômico e social de comunidades inseridas na sua área de atuação.

“Se o desenvolvimento de uma sociedade implica também no estímulo à imaginação e autonomia, bem como o conhecimento de sua cultura, devemos permitir que o sujeito se identifique em sua história, língua, estado e país, se enraíze e se sinta apto a exercer os seus direitos e deveres cívicos. A parceria entre iniciativas privadas e públicas para o desenvolvimento dos grupos agentes de arte e cultura se torna fundamental nesse ponto.”, comenta Nara Kelly, coordenadora do projeto e atriz do Grupo Estação.

O programa será lançado às 8h30 na sede do grupo, localizada no TECESol, em Neópolis. O projeto tem patrocínio da Cosern, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, e conta com a produção da Mapa Realizações Culturais.

Estação de contos

O Grupo Estação de Teatro atua profissionalmente desde 2009 no cenário teatral potiguar. Contam espetáculos com forte pesquisa musical e são comprometidos com o incentivo à leitura, através da contação de histórias e da valorização da cultura popular.

Para o projeto de incentivo à leitura, o grupo vai utilizar os espetáculos “Estação de contos” e “Um Sonho de Rabeca no Reino da Bicharada”.

O Estação dos Contos apresenta músicas e brincadeiras populares. As histórias de tradição popular, como Brinquinhos de Ouro, O céu de estrelas e O caso do Bolinho, são intercaladas com músicas originais, especialmente compostas para o espetáculo, além de músicas do cancioneiro infantil. Já as brincadeiras populares como Boca de Forno, Se eu digo sim, você diz não, Bambu e Adivinhas garantem a diversão da criançada. É um dos primeiros espetáculos de contação de histórias do grupo, tem direção de Rogério Ferraz, e texto criado pelo grupo a partir de histórias, músicas e brincadeiras populares.

O espetáculo músico-teatral “Um Sonho de Rabeca no Reino da Bicharada” envolve em um só momento lúdico, a contação de histórias e a cultura popular centrada nos temas da fauna nordestina e da música de rabeca. As músicas compostas por Caio Padilha são homenagens à cultura nordestina e aos grandes mestres da música regional como Luiz Gonzaga.

unnamed (12)

Cidades Esporte Geral Natal

Semifinais do Campeonato Potiguar Sub-17 serão disputadas neste sábado (28)

Dono da melhor campanha, ABC tem vantagem do empate na semifinal contra o Santa Cruz-RN (Foto: Divulgação)

Dono da melhor campanha, ABC tem vantagem do empate na semifinal contra o Santa Cruz-RN (Foto: Divulgação)

O Campeonato Potiguar de Futebol Sub-17 conhece seus finalistas neste sábado. ABC x Santa Cruz de Natal, às 9h, e América-RN x Globo FC, às 15h, são as semifinais. Os dois jogos serão realizados no Juvenal Lamartine, em Natal, sem a presença de público, já que o estádio está interditado.

Único invicto do torneio, com cinco vitórias e um empate, o ABC teve a melhor campanha da primeira fase. Com isto, tem a vantagem de se classificar para a decisão com um empate com o Santa. O América-RN, segundo colocado, também ficará com a vaga se houver igualdade no placar contra o Globo FC.

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol divulgou nesta sexta-feira a escala de arbitragem para as semifinais. Confira abaixo:

ABC x Santa Cruz de Natal – 9h
Árbitro: Mateus de Lima Dantas
Assistentes: José Givanilson Martins dos Santos e Adriano Carlos de Freitas Dias

América-RN x Globo FC – 15h
Árbitro: Leonilson Trigueiro Filho
Assistentes: Pedro Sanderson Sabino da Silva e Bruno Eduardo Trindade

Informações: Globo Esporte RN

Esporte Famosos Geral Internacional Mundo

Liga dos Campeões: Final entre Real e Atlético destaca supremacia espanhola na Europa

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

Real Madrid e Atlético de Madrid fazem a final da Liga dos Campeões neste sábado e confirmam a supremacia espanhola no torneio de clubes mais importante do continente. Dois anos depois da decisão de 2014, quando o Real derrotou o adversário por 4 a 1, em Lisboa, os rivais voltam a se enfrentar. Desta vez, o palco será o San Siro, em Milão.

Falar em Liga dos Campeões é falar em Espanha nos últimos anos. Nas decisões de 2014, 2015 e 2016, apenas o italiano Juventus conseguiu se infiltrar entre os espanhóis, e acabou derrotado pelo Barcelona por 3 a 1, em Berlim, no ano passado. E esta é a primeira vez na competição que em três finais consecutivas cinco dos seis times são do mesmo país. Antes, Espanha (2000, 2001 e 2002) e Inglaterra (2007, 2008 e 2009) conseguiram em duas oportunidades colocar quatro equipes em três decisões seguidas.

Como o Sevilla foi o campeão da Liga Europa e o vencedor da Liga dos Campeões este ano também será espanhol, a Espanha se distanciou ainda mais de Itália e Inglaterra no ranking de títulos dos dois mais importantes torneios do continente. Depois da decisão de sábado, será um espaço de cinco conquistas para os italianos e de sete para os ingleses.

Enquanto o Atlético, que tem dois vices, tenta o seu primeiro título na Liga dos Campeões, o Real Madrid é o maior vencedor do torneio, com 10 conquistas em 13 finais. O time merengue foi vice em 1962, 1964 e 1981, sendo derrotado por Benfica, Inter de Milão e Liverpool, respectivamente. Já os colchoneros, além de terem perdido para o Real em 2014, foram vices em 1974, com o Bayern de Munique sendo campeão.

Além de ter que preparar mais uma vez um esquema tático forte para superar o poderoso ataque merengue, comandado por Cristiano Ronaldo, o técnico Diego Simeone vai precisar também passar por cima da tradição rival. E no fim, com o Atlético ou o Real como campeão, novamente é a Espanha que vai terminar como dona da Europa.

Imagens: Reprodução

Imagens: Reprodução

ranking_de_paises_por_titulo_europeu titulos_por_pais_na_liga_dos_campeoes

Famosos Geral Governo Internet Jurídico LAVA JATO Política senado federal Social

Eduardo Cunha apresenta queixa-crime no STF contra Jean Wyllys

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

O presidente da Câmara afastado, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entrou com queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) por calúnia, difamação e injúria com base no que disse o parlamentar durante a sessão na Casa que deu continuidade ao processo de impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff.

De acordo com Cunha, Wyllys teria cometido crimes contra sua honra durante a sessão plenária de 17 de abril, quando o chamou de “ladrão” ao votar contra a admissibilidade do processo de impeachment. “Eu quero dizer que eu estou constrangido de participar dessa farsa sexista, dessa eleição indireta, conduzida por um ladrão, urgida por um traidor, conspirador, apoiada por torturadores, covardes, analfabetos políticos e vendidos”, disse Wyllys na sessão.

A defesa do peemedebista alega que o deputado do PSOL tinha “claro intuito de levantar dúvida quanto à regularidade das suas condutas utilizando-se premeditadamente de momento de grande atenção sobre as atividades do parlamento brasileiro para ofendê-lo”.

“O querelado (Wyllys), sem sombra de dúvidas, pretendia imputar ao ofendido (Cunha) fato criminoso que sabia não ter ocorrido, tanto que afirmou que seria um conspirador, vendido, que estaria conduzindo uma eleição indireta, tudo no intuito de transmitir a ideia de que, conjuntamente com pessoas que praticariam tortura, estaria praticando um ‘golpe'”, escrevem os advogados do deputado afastado na peça.

 De acordo com o documento, as ofensas de Wyllys a Cunha excedem os direitos à liberdade de expressão, de opinião e de crítica assegurados pela Constituição e extrapolam a imunidade parlamentar. Para o peemedebista, a prerrogativa que assegura aos congressistas ampla liberdade “não pode ser banalizada a ponto de ser entendida como uma ‘carta branca’ conferida ao parlamentar para que ofenda covarde e gratuitamente outras pessoas, inclusive publicamente”.

Para evitar “celeumas ainda maiores, tais quais enfrentamentos físicos que são rotineiramente noticiados pela imprensa internacional”, a peça de Cunha ainda cobra do Supremo uma providência “diante dos lamentáveis acontecimentos verificados no âmbito do parlamento brasileiro para coibir excessos trazidos a efeito por parlamentares que se aproveitam de suas prerrogativas para praticar crimes, o que é muito mais grave do que uma quebra de decoro parlamentar”.

“Embora vários parlamentares tenham manifestado inconformismo ou irresignação com a condução da votação do impeachment da então presidente da República, inclusive dirigindo críticas ao ofendido (Cunha), este somente cuidou de propor ação penal contra quem tenha o feito de maneira verdadeiramente ofensiva”, justifica a defesa do peemedebista.

Em nota, a assessoria de Wyllys acusa Cunha de “mais uma manobra desesperada para calar denúncias”. O deputado afirma não ter dito nenhuma mentira sobre o seu adversário, que tem como base a denúncia no âmbito da Lava Jato contra o peemedebista. “Ser processado por Eduardo Cunha é um elogio que o enche de orgulho. O deputado não vai se calar nem permitirá que o réu o intimide ou ameace e continuará denunciando o golpe e defendendo a democracia como tem feito até agora”, diz o comunicado.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução