Últimas do FM

Polícia

PM captura foragido e prende mulher suspeita de tráfico de drogas

JOSÉ EDIVANILDO DA SILVA FOI PRESO NA COMUNIDADE DO MOSQUITO, BAIRRO NORDESTE, NA ZONA OESTE DE NATAL. (FOTO: ASSECOM/SESED)

JOSÉ EDIVANILDO DA SILVA FOI PRESO NA COMUNIDADE DO MOSQUITO, BAIRRO NORDESTE, NA ZONA OESTE DE NATAL. (FOTO: ASSECOM/SESED)

Policiais do Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) capturaram na tarde desta terça-feira (5) um homem identificado como José Edvanildo da Silva, de 25 anos, no bairro Nordeste, na comunidade do Mosquito, zona norte de Natal. Contra ele havia um mandado de prisão em aberto. Segundo a PM, José Edvanildo é membro de uma organização criminosa e estava sendo procurado pela Polícia.

Na zona Oeste de Natal, os policiais do 9º Batalhão de Polícia Militar (9ºBPM) prenderam uma mulher identificada como Jaqueline Soares da Silva após ser flagrada com drogas no Conjunto Márcia Maria. Foi durante patrulhamento no local que a PM resolveu abordá-la e encontrou dentro de sua residência maconha, crack, celulares e um revólver calibre 38, além de dinheiro fracionado. Diante da suspeita de tráfico de drogas, ela foi conduzido à Polícia Civil para a devida atuação.

MATERIAL FOI APREENDIDO COM UM MULHER IDENTIFICADA COMO JAQUELINE SOARES DA SILVA. (FOTO: ASSECOM/SESED)

MATERIAL FOI APREENDIDO COM UM MULHER IDENTIFICADA COMO JAQUELINE SOARES DA SILVA. (FOTO: ASSECOM/SESED)

Polícia

Suspeita de participar da morte do professor Diogo Nóbrega, disse que “empurraram ele vivo”

MAYARA SOUZA E MAIS TRÊS PESSOAS CONFESSARAM O CRIME. (FOTO: PORTAL BO)

MAYARA SOUZA E MAIS TRÊS PESSOAS CONFESSARAM O CRIME. (FOTO: SÉRGIO COSTA/PORTAL BO)

Uma mulher de 26 anos foi presa pela Polícia Civil suspeita de participar da morte do professor universitário Diogo Rosembergh da Silva Nóbrega, encontrado em meio as falésias da praia de Cotovelo, na manhã do dia 21 de Fevereiro deste ano. Mayara Souza gomes relatou a reportagem do PortalBO que o namorado dela, um adolescente e um amigo dele, que ja está preso, confessaram o crime e que mataram para roubar.

A desempregada está presa na cela improvisada da delegacia de plantão da zona Sul de Natal, Mayara se defendeu dizendo que não esteve no local do crime, mas vendeu o celular da vítima por R$ 300 no bairro do Alecrim. “Eu não participei da morte do professor, quem matou ele foi meu namorado, que é adolescente e o amigo dele que a polícia já prendeu. Eu ouvi eles conversando várias vezes dizendo que mataram o professor para roubar os pertences dele e que jogaram o rapaz nas falésias sob ameaça. Empurraram ele vivo”, disse.

O inquérito que apura a morte do professor transcorre na segunda delegacia de polícia de Parnamirim. Os agentes preferiram nao comentar a prisão dos suspeitos, mas informaram que os detalhes da investigação serão apresentados quando todo o trabalho for concluído.

Portal BO

Política

PP cancela reunião para definir se permanece no governo Dilma

O PRESIDENTE NACIONAL DO PP, SENADOR CIRO NOGUEIRA (PI). (FOTO: AILTON DE FREITAS / AGÊNCIA O GLOBO)

O PRESIDENTE NACIONAL DO PP, SENADOR CIRO NOGUEIRA (PI). (FOTO: AILTON DE FREITAS / AGÊNCIA O GLOBO)

Atendendo ao pedido do grupo oposicionista  do partido, que quer se afastar da presidente Dilma, o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI) decidiu cancelar reunião que ocorreria na tarde desta quarta-feira (06) e na qual seria definida a manutenção do partido na base aliada ou o desembarque do governo.

Na manhã desta terça-feira (05), o dirigente havia decidido antecipar o encontro, marcado inicialmente para o dia 11 ou 12. Nesta reunião, deputados e senadores votariam nominalmente pelo apoio ou não a Dilma. O resultado por maioria simples prevaleceria. No entanto, o PP decidiu esperar um pouco mais.Pelas contas dos deputados progressistas, 20 são contra o impeachment, 20 a favor e outros dez estão indefinidos, a espera das negociações de cargos com o Palácio do Planalto.

Fonte: O Globo

Política

MPF diz que empresa de Lula alterou provas para induzir Justiça a erro

LULA DEVERÁ ATUAR PARA BARRAR O PROCESSO DE IMPEACHMENT

Em manifestação ao juiz Sergio Moro, os procuradores da força-tarefa da Operação Lava-Jato afirmaram que a Lils, empresa constituída para o recebimento de palestras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, praticou uma “possível alteração de de provas” ao modificar cadastro na Receita Federal. Para os investigadores, a mudança pode ter sido feita para induzir a Justiça a erro.

O Ministério Público Federal (MPF) alega que a empresa de Lula mudou o número do telefone registrado na Receita depois da polêmica envolvendo escutas que atingiram telefones usados pelo escritório de advocacia que defende o ex-presidente. Os procuradores justificam que o telefone grampeado, que seria do escritório, constava na base de dados da Receita Federal como sendo uma linha telefônica da empresa de Lula.

A autorização para a escuta motivou uma reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) ajuizada pela Advocacia-Geral da União, em nome da presidente Dilma Rousseff. A Lava-Jato afirmou ao juiz Moro que, depois do episódio das escutas, a Lils retirou o número do escritório de advocacia de seu cadastro e inseriu outro, que não existe: 00 1111-1111. Até o dia 22 de março, o telefone alvo da interceptação continuava ligado à empresa de palestras. Na segunda-feira o registro não constava do cadastro, sendo indicado esse outro número, afirma o MPF.

A alegação do MPF foi encaminhada por Sergio Moro ao STF nesta terça-feira (05), como resposta à reclamação da AGU. “A autorização concedida por este juízo tinha por pressuposto que o terminal era titularizado pela empresa do ex-presidente e não pelo escritório de advocacia, tanto que na decisão judicial de autorização foi ele relacionada à LILS Palest informou Moro. O juiz disse ainda “que não há nos relatórios de interceptação da Polícia Federal, com a seleção dos áudios relevantes, diálogos interceptados a partir do referido terminal”.

Fonte: Valor