Últimas do FM

Economia

Saques superam depósitos na poupança pelo sétimo mês seguido

 COM OS JUROS E A INFLAÇÃO EM ALTA, OUTRAS APLICAÇÕES TÊM SE TORNADO MAIS ATRATIVAS


COM OS JUROS E A INFLAÇÃO EM ALTA, OUTRAS APLICAÇÕES TÊM SE TORNADO MAIS ATRATIVAS

Os saques na poupança superaram os depósitos pelo sétimo mês seguido. A retirada líquida (descontados depósitos) ficou em R$ 1,115 bilhão, em julho, informou hoje (4) o Banco Central (BC).

O resultado negativo foi, porém, menor do que o do mesmo mês de 2015: R$ 2,453 bilhões. Esta também foi a menor retirada líquida registrada neste ano.

Desde janeiro do ano passado, o único mês em que a poupança teve resultado positivo (mais depósitos do que saques) foi dezembro de 2015 (R$ 4,789 bilhões). De janeiro a julho deste ano, a retirada chegou a R$ 43,721 bilhões.

Os saques na poupança chegaram a R$ 160,853 bilhões, em julho, e a R$ 1,145 trilhão nos sete meses do ano, superando os depósitos, que ficaram em R$ 159,737 bilhões e R$ 1,101 trilhão, respectivamente.

O saldo total nas contas ficou em R$ 641,297 bilhões, em julho, com os rendimentos creditado nas cadernetas no total de R$ 4,189 bilhões.

Com os juros e a inflação em alta, outras aplicações têm se tornado mais atrativas. A recessão econômica também contribuiu para a fuga de recursos da poupança. Por causa da crise e do desemprego, os brasileiros têm menos sobra de dinheiro para aplicar na caderneta e precisam sacar mais recursos para pagar dívidas.

Agência Brasil

Internacional

Filha mais nova de Obama trabalha em restaurante no início das férias

SASHA, DE 15 ANOS, TRABALHA NO CAIXA DE UM RESTAURANTE.

SASHA, DE 15 ANOS, TRABALHA NO CAIXA DE UM RESTAURANTE.

Sasha, 15, filha mais nova do presidente dos EUA, Barack Obama, começou suas férias trabalhando em um restaurante de Martha’s Vineyard, ilha turística no Estado de Massachusetts onde a família costuma descansar no verão.

Ela foi contratada pelo Nancy’s, especializado em frutos do mar, para ser caixa em meio período de quatro horas na primeira semana na ilha. Depois, se juntará ao pai e à mãe, Michelle, para mais duas semanas de férias.

Assim como todos os membros da família, Sasha Obama é acompanhada por seis agentes do Serviço Secreto, que ficam do lado de fora do estabelecimento enquanto ela trabalha.

Segundo o site americano “TMZ”, a filha do presidente recebe a remuneração padrão, de US$ 12 (R$ 38,35) por hora mais as gorjetas dos clientes.

A família Obama aluga uma casa em Martha’s Vineyard em quase todos os verões desde que Barack foi eleito para a Casa Branca, em 2008. A exceção foi 2012, quando o atual presidente disputava a reeleição.

 Folha

Esporte

Manter equipamentos olímpicos custará ao menos R$ 59 milhões

 PRINCIPAL PROJETO ESPORTIVO DOS JOGOS, O PARQUE OLÍMPICO DA BARRA SERÁ CONCEDIDO À INICIATIVA PRIVADA

PRINCIPAL PROJETO ESPORTIVO DOS JOGOS, O PARQUE OLÍMPICO DA BARRA SERÁ CONCEDIDO À INICIATIVA PRIVADA

O custo anual para manter os equipamentos olímpicos dos Jogos do Rio será de ao menos 59 milhões de reais, informaram nesta quinta-feira (04) a prefeitura carioca e o governo federal durante apresentação do plano de legado da Olimpíada.

Principal projeto esportivo dos Jogos, o Parque Olímpico da Barra será concedido à iniciativa privada em formato de Parceria Público-Privada (PPP), sendo que já haveria quatro interessados na administração do conjunto.

Segundo o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, o governo federal estima gastar 46 milhões de reais ao ano para manter equipamentos do Parque Olímpico de Deodoro, onde serão disputadas durante os Jogos 11 modalidades como rúgbi, hóquei sobre grama, tiro, pentatlo moderno e hipismo.

Já a Prefeitura do Rio gastará outros 13 milhões anuais para viabilizar a PPP do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, coração dos Jogos de 2016 e onde serão disputadas 16 modalidades olímpicas.

“O valor é baixo, nada exagerado para se manter equipamentos… já houve quatro manifestações de interesse (na PPP)”, disse Paes.

A PPP, cujo edital já foi lançado, tem prazo de duração de 25 anos, e das 9 instalações que compõem o Parque Olímpico, 7 serão mantidas pós 2016: Arenas Cariocas 1, 2 e 3; Parque Aquático Maria Lenk, Arena Rio, Velódromo e Centro de Tênis.

Um pista de atletismo, um  alojamento e duas quadras de vôlei de praia também devem ser construídos depois da Olimpíada.

“Temos muito orgulho do modelo de Olimpíada que fizemos… Gastamos 3 bilhões com equipamentos esportivos e 4 bilhões foram com recursos privados. Um estádio em Londres custou mais caro que todos os nossos equipamentos. Não fizemos elefantes brancos e não temos castelo com nome de estádio”, acrescentou o prefeito.

O governo federal obteve ainda junto à prefeitura o compromisso de ter o direito de usar as instalações olímpicas remanescentes por ao menos 10 semanas ao ano para atletas de alto rendimento. Essas arenas também devem fazer parte da Rede Nacional do Esporte, um programa do ministério em parceria com escolas, universidades, sistema S e clubes de todo país para a formação de atletas.

“O plano de legado está baseado num programa que é a rede nacional de treinamento que deve unificar todos os equipamentos esportivos no país, começando desde os centro de iniciação esportiva, até os centros regionais, de base e de altíssimos rendimento, onde estão os equipamentos da Olimpíada que serão o topo da pirâmide. Quem iniciou treino na rede, vai evoluindo, subindo até aqueles que tiverem o talento e dedicação para serem atletas de nível internacional”, afirmou Picciani.

Antes de ser lançado oficialmente, o plano de legado da Olimpíada foi apresentado ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério Público Federal do Rio, que vinham cobrado as autoridades a esse respeito.

Reuters/Exame

Esporte

Movimentos sociais marcam protestos no Rio na abertura da Olimpíada

O OBJETIVO É DENUNCIAR A EXCLUSÃO SOCIAL QUE HOUVE DURANTE AS OBRAS PARA OS JOGOS.

O OBJETIVO É DENUNCIAR A EXCLUSÃO SOCIAL QUE HOUVE DURANTE AS OBRAS PARA OS JOGOS.

Movimentos sociais e centrais sindicais vão fazer protestos, nesta sexta-feira (5), no Rio, na abertura oficial da Olimpíada. O objetivo, segundo os organizadores, é denunciar a exclusão social que houve durante as obras para os Jogos, com remoções de moradores, a especulação imobiliária, a tentativa de coibir manifestações públicas e o uso de verbas para viabilizar o projeto olímpico, em detrimento de investir em áreas sociais, como saúde e educação.

O primeiro ato foi marcado para as 11h, em frente ao Hotel Copacabana Palace, e reunirá integrantes da Frente Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular, que se opõem ao governo do presidente interino, Michel Temer.

“Este momento olímpico é expressivo para que os movimentos sociais possam aproveitar os olhares do mundo todo no Rio de Janeiro para fazer denúncias importantes. Não há clima olímpico no Rio e no Brasil. Há clima geral de insatisfação e indignação popular. O nosso protesto será pacífico e não vamos depredar o patrimônio público”, disse Guilherme Boulos, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Na parte da tarde, um outro protesto foi convocado para a Praça Saens Peña, na Tijuca, zona norte, nas proximidades do Estádio Maracanã, onde ocorrerá a abertura da Olimpíada. Batizada de Rio 2016 – Os Jogos da Exclusão, a manifestação está sendo convocada pelas redes sociais para as 14h.

Agência Brasil