Últimas do FM

Natal

CMEI Amor de Mãe promove mostra cultural em homenagem ao Samba

O bairro das Rocas, na zona Leste de Natal, é considerado o berço do samba em Natal. E inspirado na vivência da localidade, o Centro Municipal de Educação Infantil Amor de Mãe, promoveu nesta quinta-feira (06), uma Mostra Cultural, tendo o samba como tema principal. A unidade de ensino está localizada na Rua Feliciano Dias, na Praia do Meio.
“O samba das Rocas vem do mar e mexe com a gente”, é o nome da mostra e retrata o resultado do trabalho pedagógico realizado com as crianças atendidas na unidade de ensino. O registro do samba “Pelo o Telefone”, gravado pela primeira vez em 1916 também norteou a pesquisa e o trabalho exercitado com os alunos.
Durante a exposição dos trabalhos, o sambista José Carlos Ramos, conhecido como “Debinha”, foi homenageado pela trajetória musical. O sambista “Debinha” nasceu e vive até hoje no bairro das Rocas, e contou que tem como ídolo e incentivador o “Mestre Lucarino”. O artista iniciou a carreira cantando na orla das praias do Meio e dos Artistas. Com 30 anos de carreira, ela mantém uma permanente agenda de shows.
“Essa homenagem é legítima e tem uma importância imensa. O samba é a raiz do nosso pais. Ele foi feito para trazer às pessoas felicidade e alegria. Eu me sinto muito feliz em saber que outros jovens se inspiram no meu trabalho, e continuam mostrando o samba potiguar para o mundo”, disse.
De acordo com a gestora pedagógica da unidade de ensino, a professora Ana Karla Gomes, o objetivo dessa mostra é valorizar a cultura do bairro. “Estamos comemorando a história do Samba. Tivemos a oportunidade de trabalhar a cultura local dentro do CMEI com o projeto, trabalhando com os artistas locais e grupos de capoeira e maculelê”.
Francisco Evandro Nascimento dos Santos é pai de Pedro Eduardo Nascimento Câmara, de três anos. Ele veio prestigiar o evento realizado no Centro de Educação Infantil Amor de Mãe. “Essa atividade é muito boa. Meu filho vai crescer e se desenvolver valorizado nossas raízes”. Com o auxílio dos professores as crianças produziram instrumentos utilizados no samba, como o violão, ganzá, pandeiro, chocalho e reco-reco.
Durante a realização da mostra, as crianças apresentaram a história do samba, as origens africanas, capoeira, maculelê e o ritmo homenageado com a mostra. Para esta sexta-feira (07), está programada uma mediação de leitura, com a participação do músico e compositor Tertuliano Ayres, além de uma ciranda de samba e roda de maculelê.
Natal

Educadores da rede municipal participam da Formação do Programa Justiça e Escola

SME

Cerca de 150 educadores da rede municipal de ensino de Natal estão participando da IX Ação Formativa do Programa Justiça e Escola, que teve a abertura nesta quinta-feira (06), no Centro Municipal de Referência em Educação Aluízio Alves (Cemure). O evento segue também nesta sexta-feira (07), das 8h às 17h30.
O Programa Justiça e Escola é desenvolvido desde 2007, a partir de um convênio entre a Prefeitura Municipal do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Educação, e o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Tendo como objetivo a implementação de uma proposta educativa pautada em valores éticos e de cidadania, respaldada na metodologia – “O Caráter Conta”, com intenção de mediar e explorar os conteúdos dos pilares: Respeito, Responsabilidade, Zelo, Cidadania, Senso de Justiça e Sinceridade.
Na abertura, a secretária municipal de Educação, a professora Justina Iva de Araújo Silva, agradeceu a parceria importantíssima com o Tribunal de Justiça do RN. “A parceria é motivo de muita alegria e precisamos cada vez mais de parceiros que tragam para o interior das escolas, essa forma de pensar, de olhar sobre atitudes, sobre habilidades socioemocionais”.
“Precisamos associar a função do professor também com o cuidado e olhar para as questões socioemocionais. Nós temos trabalhado muito com parcerias essenciais, porque nenhuma organização ou entes públicos isoladamente darão conta de responder à demanda da sociedade. A nossa rede de ensino está trabalhando com cerca de 100 parceiros”, afirmou a titular da SME.
O coordenador executivo do Programa Justiça e Escola, o juiz José Undário de Andrade, falou da importância das discussões sobre éticas nas escolas públicas municipais. “O próprio nome do programa, Justiça e Escola, conduz a esse conceito, de semelhante, de companheirismo, de formação cidadã. São justamente esses ideais e propósitos que cultivamos ao longo de quase uma década, que são sempre renovados e aprimorados dentro do programa e acima de tudo para o alto desenvolvimento dos autores neles envolvidos”.
A palestra da abertura foi proferida pelo Monsenhor Pedro Ferreira da Costa, regente da Camerata de Vozes do RN, que conversou com os educadores sobre o tema geral da formação “Educação em valores na contemporaneidade, uma reflexão necessária”, e o sub-tema – “Quero a força dos cactos que entre os espinhos … Floresce” (Sirlei Passolongo). O professor destacou e analisou dois termos, a relação e a distância. Falou ainda da importância do educador, do educando, e da relação com o outro.
Convidado pela organização da Formação, o pequeno José Rafael Alves Trajano, de 11 anos, deixou um depoimento sobre o que aprendeu no Programa Justiça e Escola. “Devemos ser mais coerentes e cidadãos. Todos os pilares se completam e o que mais me marcou foi o Senso de Justiça. Tenho um pai cadeirante e precisamos cobrar por mais acessibilidades no nosso país. Precisamos ser mais gentis, ter zelo, ser cuidadoso e amigo, e todos os pilares nos ensinam isto. Cada um dos pilares estão presentes na nossa vida”, declarou José Rafael, emocionando os educadores presentes.
De acordo com a coordenadora do programa em Natal, a professora Luzia Valentim, do Departamento de Atenção ao Educando (DAE/SME), a capacitação para a aplicabilidade da metodologia ocorre por meio da realização de ações formativas que dão suporte técnico e estratégico para os professores e demais profissionais da rede municipal de ensino, contribuindo para implementação de uma cultura de paz e para a formação cidadã.
A participação no Programa Justiça e Escola abrange atualmente 56 escolas e 23 centros municipais de educação infantil. No período de 2013 a 2016 foram realizadas, nove formações alcançando 921 educadores, 144 oficinas temáticas para 3.199 educadores e 658 famílias (contemplando indiretamente cerca de 37 mil alunos), dois seminários, dois intercâmbios pedagógicos e 12 palestras.
Participaram da abertura, a desembargadora do Tribunal de Justiça do RN, Maria Zeneide Bezerra, a diretora do Departamento de Atenção ao Educando, Edna de Araújo Galvão e a chefe do Setor de Articulação Escola e Comunidade, Maria Salete Alves. E toda a equipe da SME que integra o programa também estava presente.
Saúde

Senac apoia o movimento Outubro Rosa, voltado para prevenção do câncer de mama

CAMPANHA OBJETIVA FORTALECER AS RECOMENDAÇÕES PARA O DIAGNÓSTICO PRECOCE DE CÂNCER DE MAMA

CAMPANHA OBJETIVA FORTALECER AS RECOMENDAÇÕES PARA O DIAGNÓSTICO PRECOCE DE CÂNCER DE MAMA

O Senac atua de forma a proporcionar o desenvolvimento de pessoas, por meio de ações educacionais que estimulem o exercício da cidadania e a atuação profissional transformadora e empreendedora, a fim de contribuir para o bem-estar da sociedade.

Por isso, apoia ações que promovem o conhecimento e estimulam o debate com a população sobre temas importantes para a qualidade de vida.
Outubro Rosa
De acordo com Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o movimento nasceu nos Estados Unidos, nos anos 1990, para incentivar a participação da sociedade no controle do câncer de mama.
Neste ano, a campanha tem como objetivo fortalecer as recomendações para o diagnóstico precoce e rastreamento de câncer de mama indicadas pelo Ministério da Saúde, desmistificando crenças em relação à doença e às formas de redução de risco e de detecção precoce.
Para o instituto, a proposta é ampliar a compreensão sobre os desafios no controle do câncer de mama. Já que esse controle não depende apenas da realização da mamografia, mas também do acesso ao diagnóstico e ao tratamento com qualidade e no tempo oportuno. O Inca ressalta ainda que há a necessidade de realizar ações ao longo de todo o ano e não apenas no mês de outubro.
Geral

Semurb recomenda utilização de piso tátil em locais específicos

PISO TÁTIL NO MEIO FIO EM NATAL

A utilização do piso tátil em todo o meio fio das calçadas deixará de ser obrigatória em Natal, um das poucas cidade a fazer a exigência. O piso tátil passa a ser cobrado apenas em situações específicas, conforme ABNT NBR 9050/2015, ABNT NBR 16537/2016 e Decreto 5.296/2004. A informação é da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). Segundo a Diretora do Departamento de Licenças da Semurb, Alessandra Marinho, a nova recomendação busca corrigir e prevenir qualquer tipo de confusão que a incorreta utilização do piso tátil gerou ou venha a gerar.

“Tanto a Norma de Acessibilidade gratuita (ABNT NBR 9050/2015), quanto a norma específica de piso tátil (ABNT NBR 16537/2016), esclarecem as funções do piso tátil, sendo uma delas, indicar a travessia de pedestres e opções de percurso. Logo, se colocamos o piso em todo alinhamento do passeio, estaremos gerando uma situação de risco para os usuários, principalmente o turista que não conhece as regras específicas do município, indo em desencontro ao Desenho Universal.”, explica.

Pela lei municipal 055/04, art.126 do Código de Obras, toda calçada deve possuir faixa de no mínimo um metro e vinte centímetros de largura, para a circulação de pedestres, com piso contínuo sem ressaltes ou depressões, antiderrapante, tátil, indicando os limites e barreiras físicas. Compilando o referido artigo à norma específica de piso tátil, verificou-se que o termo “tátil” não se limita ao piso de alerta e sim, de forma genérica.

Outrossim, o Decreto Federal 5296/2004, que regulamenta as Leis nos 10.048/2000 e 10.098/2000, as quais estabelecem normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, afirma que no planejamento e na urbanização das vias, praças, dos logradouros, parques e demais espaços de uso público, deverão ser cumpridas as exigências dispostas nas normas técnicas de acessibilidade da ABNT.

Ainda segundo Alessandra, questões relacionadas à correta aplicação do piso tátil em Natal, serão publicadas no site da Prefeitura, conforme legislações de cunho nacional, para uma melhor compreensão por parte da população, como a utilização do piso de alerta em paradas de ônibus das calçadas, guias rebaixadas para pedestres e obstáculos suspensos.

A diretora também avalia o Código de Obras de Natal como uma legislação mais restritiva em comparação nacional, porém reitera seu caráter problemático. “Tal restrição não gera segurança ao usuário, mas sim, uma falsa informação, tendo em vista que não atende a função de sinalização especificada na norma técnica nacional, gerando conflito de entendimento para o cego ou pessoa com baixa visão, e por consequência riscos à integridade física”, finaliza.