Últimas do FM

Política

Agora é o PPS: Wober Júnior e Laura Helena vão anunciar apoio do partido à Fátima Bezerra

EX-DEPUTADO WOBER JÚNIOR E LAURA HELENA VÃO CONFIRMAR O APOIO DO PPS A FÁTIMA BEZERRA

O PPS/RN deverá anunciar até a segunda-feira o apoio à candidatura do governo do RN da senadora petista, Fátima Bezerra. A oficialização do apoio estava prevista para acontecer nesta sexta-feira, 19, mas foi adiado devido a candidata esta em viagem ao interior.

Depois de reunião com a militância do partido, o presidente do PPS, ex-deputado Wober Júnior, e a advogada Laura Helena, sua filha, decidiram “bater o martelo” com relação ao apoio à campanha petista.

Embora o partido já esteja  preparando as suas bases para cair em campo e pedir voto para Fátima Bezerra, os  militantes que resolverem seguir por outros caminhos não vão sofrer qualquer tipo de sansão.

Nas searas do socialismo do PPS potiguar é tudo paz e amor…

Aliás, só para lembrar, o PPS já fez parte da gestão do então prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT), quando ocupou nesse último mandato a Secretaria de Esportes e Lazer.

 

Eleições 2018

Carlos Eduardo faz convocação na reta final: “Começamos atrás, empatamos e quem empata, vai virar”

CANDIDATO SE REFERIU À PESQUISA ENCOMENDADA PELA REDE RECORD DE TELEVISÃO E REALIZADA ESTA SEMANA QUE APONTA EMPATE TÉCNICO NA ELEIÇÃO

Mais de 500 lideranças dos 167 municípios do Rio Grande do Norte superlotaram o auditório de um hotel em Ponta Negra (Natal) em clima de entusiasmo para garantir empenho para a vitória do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT) para governador. Empolgado, Carlos Eduardo agradeceu apoios e garantiu: “Começamos a campanha atrás, fomos ao segundo turno, empatamos na pesquisa e quem empata, já virou e vai vencer a eleição”.

Carlos Eduardo se referiu à pesquisa encomendada pela Rede Record de Televisão e realizada esta semana (17 e 18/10) que aponta empate técnico na eleição para o Governo do Rio Grande do Norte. A senadora Fátima Bezerra (PT) tem 47% na consulta estimulada e Carlos Eduardo(PDT) chegou a 45%. Indecisos somam 3 % e nenhum 5 %.

Nos votos válidos, Fátima ficou com 51% e Carlos Eduardo atingiu 49%. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. A pesquisa ouviu 1.500 pessoas e foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob número Número de Registro: RN-00854/2018 / BR-07462/2018.

“Vamos atrás de cada voto, de manhã, de tarde, de noite, de madrugada, vocês são combatentes nessa luta para resgatar o Rio Grande do Norte do caos instalado com a participação decisiva do PT. Precisamos de um governador em sintonia com o Presidente Jair Bolsonaro e o ciclo do PT acabou. Vamos despachar o PT que quase acaba o Brasil, também do Rio Grande do Norte”, afirmou o candidato do PDT.

Estavam presentes o candidato a vice-governador, Kadu Ciarlini (PP), deputados reeleitos ( Walter Alves (federal), Tomba Farias, Hermano Morais), o prefeito de Natal Álvaro Dias, prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e líderes de todas as regiões.

Nesta sexta-feira, Carlos Eduardo recebeu novos apoios: do PRB, do PTC, do prefeito de Jucurutu, Valdir Medeiros, o Liso (Solidariedade), do vereador Odair Diniz, candidato a deputado federal mais votado de Caicó e da prefeita de Serrinha dos Pintos, Rosânia Ferreira, de Carnaúba dos Dantas, Gilson Dantas, de São Miguel do Gostoso, Renato de Souza (Doquinha) e Touros, Assis Andrade (Assis do Hospital).

Eleições 2018

Partido de Ciro, PDT pede anulação das eleições e cassação da candidatura de Bolsonaro

17.ago.2018 - Bolsonaro (e) e Ciro se cumprimentam antes do início do debate da RedeTV!/IstoÉ

A AÇÃO PEDE, ALÉM DA ANULAÇÃO, A INELEGIBILIDADE DO CANDIDATO JAIR BOLSONARO E SEU VICE, GENERAL MOURÃO. (FOTO: PAULO WHIKATER/REUTERS)

O PDT entrou hoje (19) com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral pedindo a anulação da votação do primeiro turno, realizada no dia 7 deste mês, e de cassação da candidatura de Jair Bolsonaro, do PSL, à Presidência da República. A base do pedido é a denúncia feita pelo jornal Folha de S.Paulo em reportagem publicada ontem (18), segundo a qual empresários apoiadores de Bolsonaro custearam serviços de envio de mensagens em massa pela plataforma WhatsApp.

Segundo o PDT, o episódio corresponde à conduta de abuso de poder econômico, vedada pelo Código Eleitoral. Para os advogados do partido, o emprego de sistemas de disparo em massa ocasionou desequilíbrio na disputa, com gastos e estrutura maiores beneficiando a candidatura de Jair Bolsonaro, violando o princípio da “paridade de armas”.

O partido também pede que se apure se houve recurso não contabilizado (caixa 2) para a campanha do PSL. “O financiamento da propaganda eleitoral foi constituído de forma ilícita, na medida em que a doação empresarial é vedada de forma direta ou indireta, logo, seja por disponibilização de dinheiro ou por realização de gastos de campanha, como a mencionada contratação. O uso de recursos empresariais é terminantemente vedado”, afirma a ação.

De acordo com o PDT, o abuso de poder econômico e a ilegalidade dos repasses justificam a anulação das eleições. Diz o Artigo 222 do Código Eleitoral: “É também anulável a votação, quando viciada de falsidade, fraude, coação ou emprego de processo de propaganda ou captação de sufrágios vedado por lei”. “As fake news[notícias falsas] foram responsáveis, sim, pelo resultado das eleições, e isso é crime previsto no Código Eleitoral. Não há outra via senão o pedido de cancelamento das eleições”, afirmou o presidente da legenda, Carlos Lupi.

A ação pede, além da anulação, a inelegibilidade do candidato Jair Boslonaro e seu vice, General Mourão, bem como a investigação da participação destes e das empresas supostamente contratadas para o disparo em massa e de empresários que financiaram o serviço. Entre os atos solicitados estão a quebra de registro bancário e telefônico e disponibilização de relatórios contábeis e fiscais das empresas apontadas.

Denúncia

A reportagem da Folha de S.Paulo diz que empresas contrataram firmas de marketingdigital que comercializam serviços de disparo de centenas de milhões de mensagens no WhatsApp em contratos de até R$ 12 milhões.Segundo o texto, um dos apoiadores é Luciano Hang, da rede de varejo catarinense Havan e apoiador público de Boslsonaro.

Foram citadas entre as companhias de assessoria digital contratadas para efetuar os disparos em massa as firmas Quickmobile, Yacows, Croc Services e SMS Market. Conforme o texto, Jair Bolsonaro declarou ter gasto apenas R$ 115 mil com a empresa AM4 Brasil Inteligência Digital para serviços relacionados a mídias digitais.

Agência Brasil

Cidades

Acompanhada por José Agripino, prefeita Fernanda Costa encontra ministro da Casa Civil e assegura recursos complementares para Teleférico de Santa Cruz

A PREFEITA FALOU DA IMPORTÂNCIA DOS RECURSOS SEREM LIBERADOS PARA QUE A OBRA SEJA CONCLUÍDA E ESTEJA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL A DISPOSIÇÃO DA POPULAÇÃO.

A prefeita Fernanda Costa foi recebida na tarde desta quinta-feira, 18, pelo ministro da Casa Civil, Carlos Marun, para tratar da liberação da verba complementar para finalização do Teleférico de Santa Cruz.

Acompanhada pelo Senador José Agripino, que articulou o encontro, Fernanda Costa discutiu com o ministro a importância dos recursos serem liberados para que a obra seja concluída e esteja o mais rápido possível a disposição da população.

Na saída do encontro, Fernanda Costa conseguiu a garantia dos recursos e agradeceu ao ministro e ao senador José Agripino pela disponibilidade de sempre ajudar nos pleitos de Santa Cruz.

O recurso complementar se faz necessário, pois com a alta do dólar, os equipamentos, que são importantes da Europa, ficaram mais caros. Com isso, a prefeita batalhou nos últimos meses para ter a garantia dos recursos e que a obra seja finalizada o mais breve possível.

Fonte: Blog do Édipo Natan