Últimas do FM

Geral

Casa da Moeda interrompe produção de passaporte por falha em máquina

Passaporte_Mercosul

CASA DA MOEDA INTERROMPE PRODUÇÃO DE PASSAPORTE POR FALHA EM MÁQUINA

Em nota, Casa da Moeda afirmou que já encomendou novo equipamento.Produção de passaportes será retomada na próxima semana, informou órgão.

A Casa da Moeda divulgou nota nesta quinta-feira (30) em que diz que a produção de passaportes comuns e de urgência ficará temporariamente interrompida por causa de uma falha em um dos equipamentos usados para essa finalidade (veja a nota completa no fim desta reportagem).

A Casa da Moeda também informou que a produção de passaportes deverá ser retomada na semana que vem e que, até lá, o órgão vai buscar uma alternativa para acelerar a emissão dos documentos.

A Casa da Moeda divulgou nota nesta quinta-feira (30) em que diz que a produção de passaportes comuns e de urgência ficará temporariamente interrompida por causa de uma falha em um dos equipamentos usados para essa finalidade (veja a nota completa no fim desta reportagem).

A Casa da Moeda também informou que a produção de passaportes deverá ser retomada na semana que vem e que, até lá, o órgão vai buscar uma alternativa para acelerar a emissão dos documentos.

G1

Política

Audiência debate desafios nos dez anos da Lei Maria da Penha

CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL/AUDIÊNCIA DEBATE DESAFIOS NOS DEZ ANOS DA LEI MARIA DA PENHA

CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL/AUDIÊNCIA DEBATE DESAFIOS NOS DEZ ANOS DA LEI MARIA DA PENHA

Uma audiência pública debateu nesta manhã (30), na Câmara Municipal de Natal, os avanços e desafios com a criminalização da violência doméstica a partir da Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006. A proposição foi do vereador Hugo Manso (PT), que reuniu vereadores, representantes de ONGs, movimentos sociais, entidades que trabalham em defesa da mulher e secretaria municipal de políticas públicas para a mulher.
A presidente da União Brasileira de Mulheres (UBM), destacou que é inegável a conquista com a Lei Maria da Penha porque retira a violência doméstica do ambiente privado e leva para o público com instrumentos de combate e prevenção. “Não havia antes instrumentos e espaços adequados para que a mulher pudesse se proteger, mas muita luta e muitos desafios ainda estão por vir. É preciso aparelhar, instrumentalizar e capacitar profissionais para atender melhor às mulheres vítimas da violência, para que não se sintam constrangidas quando forem recebidas por esses profissionais”, disse.
A Secretária Municipal de Políticas Públicas para a Mulher, Maria Aparecida França, ressalta que a lei precisa continuar sendo trabalhada e implementada para que a mulher não volte a ser vitimizada quando denunciar ou procurar por ajuda. “Abrigos e delegacias precisam funcionar 24 horas para garantir que esta proteção existe. Também é preciso levar às escolas a preocupação com a violência doméstica para proporcionar a prevenção desde a infância e combatermos o machismo que é o principal causador desse problema”, enfatizou.
Na Câmara Municipal já tramita um projeto do vereador George Câmara (PC do B), que participou da audiência, prevendo que a Lei Maria da Penha seja estudada nas escolas como forma de orientar e prevenir desde a infância o respeito pela mulher. Além disso, um projeto de lei do vereador Hugo Manso já foi aprovado prevendo a reserva de 5% das vagas nas empresas terceirizadas da prefeitura para mulheres em situação de violência. Para Hugo, garantir que as mulheres em situação de violência possam romper com o ciclo de agressões e seguir a vida dignamente é um dever do Estado e do Município. “Aprovar políticas públicas desse tipo é permitir que a mulher tenha uma alternativa de renda e trabalho e possa ter uma vida com autonomia. A Lei Maria da Penha é um marco na proteção das mulheres, tanto que atualmente esse tipo de violência não mais é entendida como uma questão privada, mas sim como uma questão pública de punição para o agressor”, disse Hugo.

Cidades Geral Sem categoria Variedades

Ônibus intermunicipal colidi com carro de passeio

(Pedro Melo)

Por volta das 6:30 horas da manhã de hoje terça feira , ônibus da empresa Jardinense colidi de frente com carro de passeio no fim da Reta Tabajara próximo ao trevo que leva as cidades de Caicó e Mossoró.

De acordo com testemunhas, até as 7:30h ainda não havia a presença de policiais e nem do serviço de atendimento (SAMU), acreditasse que o trânsito lento e o congestionamento seja o motivo da demora.

Até o momento se sabe que, o motorista do carro de passeio está muito debilitado e os passageiros do ônibus em estado de choque com a surpresa do lamentável acidente.

O trânsito deve se agravar pela manhã nos dois sentidos, tendo em vista que também que existe a obra de duplicação da via.


Economia

Dólar cai pelo 3º dia e chega a valer R$ 3,20; Bovespa recua 0,4%

VALOR É O MENOR EM MAIS DE 11 MESES; BOLSA SOBE 1,26%

O dólar comercial registra sua terceira queda consecutiva nesta quinta-feira, recuando 0,83% e cotado a R$ 3,210. Na mínima da sessão, a divisa chegou a valer R$ 3,209. No mercado acionário, porém, depois de duas altas, o índice de referência da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recua 0,37%, aos 50.813 pontos.

Nos últimos dois pregões, a expectativa de que o Brexit leve a uma nova onda de estímulos monetários no mundo e a percepção de que o Banco Central brasileiro não baixará os juros tão cedo empurraram a moeda americana para menos de R$ 3,30 pela primeira vez em mais de 11 meses. Hoje, porém, a recuperação parece ter perdido fôlego.

Do outro lado do mundo, as bolsas chinesas fecharam com pouca variação nesta quinta-feira. Os investidores realizaram lucros após o movimento de recuperação desta semana devido às fortes vendas provocadas pela decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia (UE). O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, teve variação positiva de 0,08%, enquanto o índice de Xangai perdeu 0,07%. Em Tóquio, o índice Nikkei avançou 0,06%.

Nos países desenvolvidos, as Bolsas têm seu terceiro dia de alta. Na Europa, o índice de referência Euro Stoxx sobe 0,39%, enquanto a Bolsa de Londres ganha 0,37%. Em Paris, o pregão registra valorização de 0,37%. Frankfurt, porém, opera com estabilidade. Em Wall Street, o Dow Jones sobe 0,25%, enquanto o S&P 500 sobe 0,22%. O Nasdaq avança 0,13%.

Na Bovespa, 43 das 59 ações que compõem seu principal índice registram desvalorização. Entre as ações de maior peso, o Itaú Unibanco PN cai 0,23% (R$ 29,54), enquanto a Ambev ON recua 0,99% (R$ 18,83). O Bradesco PN cai 0,91% (R$ 24,81). A Petrobras ON perde 2,59% (R$ 11,27) e a PN, 2,52% (R$ 9,26), em dia de desvalorização do petróleo no mercado internacional. Na Vale, embora o papel ON suba 0,70% (R$ 15,82), o PNA registra desvalorização de 0,31% (R$ 12,83). Brasil Foods ON e Cielo ON caem 1,62%, cotadas, respectivamente, a R$ 44,13 e R$ 33,30.

Na Oi (que não integra o Ibovespa) o papel ON tem baixa de 3,55% (R$ 1,90), e o PN, de 2,91% (R$ 1,33). Ontem, a 7ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) acatou nesta quarta-feira o pedido de recuperação judicial da Oi.

O Globo