Últimas do FM

Polícia

Professora é presa após bater carro e arrastar moto por 2km em Natal; veja vídeo

 APÓS A COLISÃO, PROFESSORA CONTINUOU DIRIGINDO E ARRASTOU A MOTO POR QUASE DOIS QUILÔMETROS (FOTO: PM/DIVULGAÇÃO)

APÓS A COLISÃO, PROFESSORA CONTINUOU DIRIGINDO E ARRASTOU A MOTO POR QUASE DOIS QUILÔMETROS (FOTO: PM/DIVULGAÇÃO)

Uma professora de 35 anos se envolveu em um acidente atípico na noite desta quarta-feira (7) na Zona Leste de Natal. Após colidir o carro em que estava em uma motocicleta, ela continuou dirigindo e a arrastou por quase dois quilômetros. O condutor da moto, que saltou do veículo no momento da batida, sofreu apenas arranhões.

A mulher foi autuada por embriaguez ao volante, resistência à prisão e desacato. Está presa, e aguarda uma audiência de custódia para saber se continua detida ou se espera o desenrolar do processo em liberdade.

O vídeo abaixo foi gravado pelo celular de um homem que acompanhou a motorista enquanto ela arrastava a moto pela Av. Hermes da Fonseca, uma das mais movimentadas da cidade. A filmagem mostra parte do trajeto que a mulher percorreu até parar o carro em um posto de combustíveis. No caminho, ela ainda cruza um sinal vermelho e roda um bom tempo sobre uma faixa exclusiva para ônibus. A gravação, que tem mais de 2 minutos, já começa com o carro em movimento.

O caso foi parar na delegacia. Segundo o policial civil Fávio Soares, da Delegacia de Plantão da Zona Sul, há relatos de que a batida aconteceu na Av. Alexandrino de Alencar, nas proximidades do antigo Hotel Tirol, de onde a professora seguiu com a moto enganchada na frente do carro. Do ponto da colisão até o posto, que fica na Av. Hermes da Fonseca, são quase dois quilômetros de distância.

A mulher se recusou a fazer o teste de bafômetro, mas foi autuada por apresentar sinais claros de embriaguez. Além disso, também foi autuada por resistência à prisão e desacato. O policial disse que parentes da professora foram à delegacia e relataram que ela tem problemas psiquiátricos, depressão e toma remédio controlado.

Veja vídeo:

 

Política

Termina hoje o prazo para Dilma apresentar defesa de contas de 2015 ao TCU

DILMA DEIXOU ONTEM (6) O PALÁCIO DA ALVORADA E MUDOU-SE PARA PORTO ALEGRE (RS). (FOTO:JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL)

DILMA DEIXOU ONTEM (6) O PALÁCIO DA ALVORADA E MUDOU-SE PARA PORTO ALEGRE (RS). (FOTO:JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL)

A ex-presidenta Dilma Rousseff tem até hoje (8) para apresentar ao Tribunal de Contas da União  (TCU) sua defesa sobre os questionamentos a respeito das contas do governo de 2015. Cassada pelo Senado no dia 31 de agosto, Dilma deixou nesta terça (6) o Palácio da Alvorada e mudou-se para Porto Alegre (RS).

No dia 23 de agosto, a pedido da defesa da petista, o TCU aprovou uma nova prorrogação de 15 dias do prazo para apresentação das alegações da ex-presidenta. Na ocasião, o tribunal informou que não haverá nova prorrogação.

Em junho, os ministros aprovaram, por unanimidade, o relatório do ministro José Múcio sobre as contas de 2015, que aponta a repetição de irregularidades constatadas nas contas de 2014, como as operações de crédito com bancos públicos. Ao todo, foram apresentados 19 questionamentos pelo TCU e mais cinco pelo Ministério Público.

No ano passado, o TCU recomendou a rejeição das contas de Dilma de 2014, principalmente por causa da constatação de atrasos no repasse de recursos para a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, referentes a despesas com programas sociais do governo, o que configuraria operação de crédito.

Outro item apontado foram os decretos envolvendo créditos suplementares assinados pela presidenta sem autorização do Congresso Nacional. Esses dois pontos foram a base para a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Sem categoria

Dois são mortos e um ferido a tiros durante bebedeira em Nova Cruz, RN

Dois jovens, um de 18 e outro de 19 anos, foram mortos a tiros na noite desta quarta-feira (7) em um bar na cidade de Nova Cruz, a aproximadamente 100 quilômetros de Natal. Um terceiro rapaz, que participava da bebedeira, também foi baleado e socorrido para a capital. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele. Ninguém foi preso.

Segundo informações do Instituto Técnico de Perícia (Itep), os mortos foram identificados como Carlos Henrique Gomes do Nascimento e Ronielisson Salustiano Pinheiro. De acordo com a Polícia Militar, o bar onde o trio foi alvo dos tiros fica na rua Egídio Inácio Pereira, em frente ao Crural do Gado, como é mais conhecido o antigo parque de vaquejada da cidade.

A polícia também informou que já tem informações sobre os autores dos disparos e que faz buscas na tentativa de prender os assassinos.

G1 RN

Sem categoria

Câmara não encontra Cunha, e notificação será publicada no Diário Oficial

CÂMARA TENTOU ENTREGAR NOTIFICAÇÃO EM BRASÍLIA E NO RIO, MANDOU PELO CORREIO, COM AVISO DE RECEBIMENTO, MAS  NÃO  ENCONTROU  CUNHA. (FOTO: ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL) (FOTO: ED FERREIRA)

CÂMARA TENTOU ENTREGAR NOTIFICAÇÃO EM BRASÍLIA E NO RIO, MANDOU PELO CORREIO, COM AVISO DE RECEBIMENTO, MAS NÃO ENCONTROU CUNHA. (FOTO: ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL)
(FOTO: ED FERREIRA)

A Secretaria-Geral da Câmara dos Deputados infromou que não conseguiu notificar pessoalmente o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sobre a sessão convocada para a próxima segunda-feira (12), destinada a votar o processo de cassação de seu mandato. Com isso, a notificação de Cunha será publicada no Diário Oficial da União.

A publicação é uma etapa burocrática exigida pelo processo de cassação de mandato.

De acordo com a Secretaria-Geral, foram feitas três tentativas no gabinete e no apartamento funcional ocupado pelo parlamentar em Brasília, mas ele não foi localizado. Assessores tentaram ainda fazer a entrega do documento no Rio de Janeiro, onde Cunha tem residência declarada, mas não conseguiram. A notificação também foi enviada pelo correio, com aviso de recebimento.

Mesmo com a publicação do documento, Cunha receberá nesta quinta-feira (8) uma notificação que será entregue pessoalmente, em Brasília. A Secretaria-Geral atenderá a uma proposta do deputado afastado, já que isso não traz prejuízo ao processo.

Adversários de Cunha consideram a dificuldade para localizar Cunha e entregar a notificação como mais uma manobra para protelar o processo e tentar esvaziar, ou adiar, a votação do parecer do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar no plenário da Câmara.

Na terça-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que, apesar de marcada para a próxima segunda-feira, a sessão deverá ter quórum alto, de 460 a 470 deputados, e que votará o processo com pelo menos 420. Para que Cunha perca o mandato, são necessários os votos de pelo menos 257 deputados.

Caso o quórum seja atingido, aliados de Cunha tentarão ainda apresentar uma questão de ordem antes do início da votação, para que, em vez do parecer do Conselho de Ética, favorável à cassação, seja colocado em votação um projeto de resolução. Diferentemente do parecer, o projeto de resolução admite emendas, o que permitiria a apresentação de uma emenda propondo uma pena mais branda do que a perda de mandato.

Segundo Rodrigo Maia, a votação do processo de cassação do mandato de Cunha seguirá o ritmo em que a Casa apreciou outros pedidos de cassação. Maia ressaltou, porém, que o plenário será soberano nas decisões sobre questões de ordem apresentadas na votação do processo, e que não haverá decisão monocrática.

“Não haverá nenhuma decisão isolada da minha parte. Qualquer decisão seguirá o Regimento Interno da Câmara e será sempre respaldada pela maioria do plenário. Em todos os casos, principalmente neste, é importante que o plenário possa se manifestar e tomar decisões, que cada deputado assuma sua responsabilidade no processo”, disse.

Na semana passada, após cobranças a Maia para antecipar a data da votação da cassação, líderes de nove partidos assinaram um cartaz afixado abaixo da Mesa Diretora, no plenário da Casa, no qual se comprometem a comparecer e levar as bancadas para a votação da decisão do Conselho de Ética, na data marcada.

A iniciativa partiu do PSOL, um dos partidos que entraram com a representação contra Cunha no Conselho de Ética e foi assinada também pelos líderes da Rede (lque também é autora da representação contra o peemedebista), PT, PSB, PPS, PCdoB, PDT, PSDB e DEM. Outros deputados assinaram o compromisso público.

“Todos os líderes que estão sendo chamados, não por nós, mas pela população, para firmar o compromisso para o dia 12”, disse na ocasião, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ). Segundo Alencar, há preocupação com a possibilidade de manobra envolvendo a base aliada do presidente Michel Temer, para esvaziar a sessão do próximo dia 12.

Eduardo Cunha responde a processo por quebra de decoro parlamentar por omitir a titularidade de contas no exterior. De acordo com o parecer aprovado no Conselho de Ética, as contas receberam recursos oriundos de pagamento de propina, envolvendo o esquema investigado na operação Lava Jato.

Em sua defesa, Cunha disse que não tem contas no exterior, sendo apenas usufrutuário de um truste, e não titular do dinheiro depositado no exterior. Em razão das investigações, Cunha já é réu em outros processos no Supremo Tribunal Federal (STF).