Geral

Novo aumento: remédios podem ter reajuste de até 12,5% no final do mês

SE CONFIRMADO, ESSE SERÁ O PRIMEIRO REAJUSTE ACIMA DA INFLAÇÃO EM 11 ANOS. (FOTO: ALEXANDRE AULER/AGÊNCIA O GLOBO)

SE CONFIRMADO, ESSE SERÁ O PRIMEIRO REAJUSTE ACIMA DA INFLAÇÃO EM 11 ANOS. (FOTO: ALEXANDRE AULER/AGÊNCIA O GLOBO)

O governo autorizará um reajuste acima da inflação para os medicamentos neste ano. A alta poderá ser de até 12,5% para anular o aumento de custo dos laboratórios com a conta de luz e o dólar alto, segundo cálculos feitos pela Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) com base em parâmetros oficiais. O número definitivo só será conhecido no dia 31 deste mês.

Em meio ao processo de consulta pública sobre o tema, a Interfarma divulgou ontem comunicado em que diz que o reajuste será de até 12,5% e que o cálculo do governo mostra que a crise chegou ao setor. Se for confirmado, será o primeiro aumento acima da inflação em 11 anos, quando passaram a registrar os dados.

Em todo esse período, os reajustes foram menores ou iguais ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No ano passado, a inflação oficial foi de 10,36%.

Os medicamentos têm preços controlados pelo governo. O cálculo de reajuste leva em consideração a produtividade da indústria, que caiu. Por isso, o governo — diz a Interfarma — determinou uma única faixa de reajuste para o setor e não várias por medicamentos, como de costume.

Fonte: O Globo



Deixe um Comentário