Natal

Noventa guardas municipais passam por avaliação psicológica de porte e uso de arma de fogo

NO PERÍODO DE 04 A 11 DESTE MÊS 90 GUARDAS MUNICIPAIS PASSARÃO PELA AVALIAÇÃO

A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) inicia nesta terça-feira (04) um novo processo de avaliação psicológica referente ao uso de arma de fogo dos integrantes da Guarda Municipal do Natal (GMN). No período de 04 a 11 deste mês 90 guardas municipais passarão pela avaliação.

O procedimento é exigido pelo Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Departamento de Polícia Federal do RN (DPF) e a Prefeitura Municipal do Natal, determinando que a cada dois anos o guarda municipal passe pelo exame no sentido de manter o porte de arma de fogo institucional e particular.

O exame é realizado por psicólogos credenciados junto ao Departamento de Polícia Federal (DPF). As exigências necessárias para realização do teste requer do agente a não ingestão de bebida alcoólica nas 48h que antecedem a prova, estar bem alimentado e ter uma boa noite de sono, de forma a se apresentar para a avaliação bem fisicamente.

As turmas são compostas por 15 guardas municipais, que devem ser submetidos a dois testes consecutivos, sendo o primeiro voltado especificamente para a parte teórica do exame, e o segundo composto de entrevista individual, onde é avaliada a capacidade psicológica do agente no tocante ao porte e uso de arma de fogo. A manutenção do porte de arma da instituição é uma das prioridades da gestão, visto que a GMN é uma corporação que tem o armamento como uma das ferramentas do trabalho de prevenção à violência.

De acordo com o comandante da GMN, Alberfran Grilo, o agente da Guarda Municipal do Natal realiza anualmente curso de aperfeiçoamento de 80h com disciplinas práticas e teóricas e a cada dois anos o efetivo é submetido a exame psicológico. “A iniciativa é responsável por manter o quadro de agentes de segurança pública da GMN capacitado e apto para atuar na função. A Semdes e o Comando vêm se empenhando para manter o efetivo regular como rege o convênio firmado com a Polícia Federal”, comentou.

Já o subcomandante de Instrução e Material da GMN, Sousa Filho, ressaltou a importância de manter o efetivo apto para atuar com armamento e contribuir com a segurança pública. “O exame nos dar a indicação que o guarda municipal armado tem capacidade psicológica para portar e manusear arma de fogo e isso é relevante para a sociedade, pois traz segurança”, explicou.

Atualmente o efetivo da GMN é de cerca de 430 agentes. Esses homens e mulheres passam por curso de aperfeiçoamento anual de no mínimo 80h, inclusive com prática de tiro com armamento de fogo. A GMN conta com 27 anos de atuação na segurança pública da capital.


Deixe um Comentário