Cidades Cultura Esporte Famosos Geral Internacional Internet Mundo Natal Social

Natal: Oscar, Virna e Clodoaldo Silva vestejam a passagem da Tocha Olímpica

Virna Dias é medalhista de bronze nas Olimpíadas de Atlanta em 1996 e Sydney em 2000 (Foto: Alexandre Lago)

Virna Dias é medalhista de bronze nas Olimpíadas de Atlanta em 1996 e Sydney em 2000 (Foto: Alexandre Lago)

“Essa é uma terra de um deus mar, de um deus mar que vive para o sol, e esse sol está muito perto daqui. Venha e veja tanto quanto pode se curtir”. Os versos da música “Linda Baby”, composta pelo artista potiguar Pedrinho Mendes inspiraram a passagem da Tocha Olímpica por Natal neste sábado. Com muita festa e sob forte calor, milhares de natalenses foram as ruas para acompanhar o revezamento do fogo olímpico, que partiu de um dos cenários mais bonitos da capital potiguar, o Forte dos Reis Magos. A construção histórica fica no encontro entre o mar e o rio Potengi e teve como primeiro condutor o professor de caratê André Calixta, que desenvolve projetos esportivos que buscam retirar crianças e adolescentes das ruas há 21 anos na cidade.

– Foi excelente o momento e pude ser o primeiro a conduzir a tocha. O bom é que eu não corri só os 200 metros, mas os 400, porque o segundo condutor faltou. Foi uma grande honra, me segurei para não chorar e gostaria de agradecer as pessoas pelo voto de confiança. Estou no esporte há 21 anos e estou  muito feliz com esse acontecimento na minha vida. É um trabalho que eu faço não só como formador de atleta, mas como cidadão e me sinto muito realizado – festejou Calixta.

André Calixta foi o primeiro condutor do revezamento da Tocha Olímpica em Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

André Calixta foi o primeiro condutor do revezamento da Tocha Olímpica em Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

Depois, a tocha percorreu algumas ruas da praia do Forte e do bairro de Santos Reis, na região Leste da cidade. Em seguida, subiu a Ladeira do Sol e se encaminhou para o bairro da Ribeira. Lá, um houve o encontro entre a ex-atleta de vôlei Virna Dias e o maior jogador de basquete do pais, Oscar Schmidt. Os dois, que são natalenses, esbanjaram simpatia com o público e não esconderam a emoção no percurso. Virna, que conquistou duas medalhas de bronze nas Olimpíadas de Atlanta em 1996 e Sydney em 2000, revelou todo o carinho pela cidade natal e lembrou de vários momentos que viveu na infância.

– Foi muito emocionante. Aquele fogo eu senti penetrar no meu corpo e passa um filme da sua vida, desde criança, brincando na rua e depois começando no vôlei. É bonito ver todos os meus familiares ao meu lado, os meus pequenininhos. Foi muita emoção – disse.

Saudado pela população, Oscar Schmidt esteve no revezamento ao lado da mulher Maria Cristina, do filho Filipe e da mãe Dona Janira. O “Mão Santa”, que é recordista em número de pontos marcados nas Olimpíadas, percorreu a rua em frente ao antigo colégio Salesiano Dom Bosco, onde estudou durante a infância.

Oscar Schmidt esbanjou simpatia durante o revezamento da Tocha Olímpica em Natal (Foto: Alexandre Lago)

Oscar Schmidt esbanjou simpatia durante o revezamento da Tocha Olímpica em Natal (Foto: Alexandre Lago)

– É a maior emoção da minha vida. Conduzir a tocha na minha cidade Natal, ao lado da minha mulher, do meu filho, da minha mãe, dos meus amigos e de toda a população, é simplesmente sensacional. Já conduzi a tocha em outras ocasiões, mas essa é extremamente especial. Se você parar para pensar, é só você no mundo inteiro, em alguns minutos, que está com a Tocha Olímpica. Mais do que isso é… Não tenho palavras – contou emocionado.

Na Arena das Dunas, último ponto do revezamento em Natal, uma estrutura com palco e várias tendas foi montada para receber o público, que mesmo debaixo de uma forte chuva, foi ao delírio quando o campeão paralímpico Clodoaldo Silva percorreu os instantes finais do trajeto. Na cadeira de rodas e empunhando a chama, o potiguar agradeceu o carinho dos natalenses e comemorou a vinda da tocha a Natal.

– É muita alegria, muita felicidade em ser o último condutor da tocha. Eu vou acender a pira olímpica com uma emoção muito grande. Espero que todos possam se incentivar no Clodoaldo Silva e pensar como eu passei tantas dificuldades e hoje sou um campeão. Se eu consegui, você também pode ser alguém no esporte e na vida. Eu treino para poder competir, para ganhar medalhas, mas eu não treino para conduzir um artefato com tanta história que começou lá na Grécia. É algo emocionante e espero que da forma que eu estou curtindo, da forma que eu estou tendo essa felicidade, as pessoas que possam ver esse momento mágico também possam ter a mesma emoção que eu – comemorou.

Clodoaldo Silva encerrou o revezamento da Tocha em Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

Clodoaldo Silva encerrou o revezamento da Tocha em Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

Antes da pira olímpica ser acesa, foi prestado um minuto de silêncio em homenagem ao ex-pugilista Muhammad Ali, falecido nesta sexta-feira. Clodoaldo acendeu a pira e encerrou a passagem da tocha por Natal, que foi celebrada com aplausos na despedida e, como nos versos da canção, “Linda baby, baby linda, volte sempre aqui”.

Neste domingo, a Tocha vai a Fernando de Noronha e retorna ao Rio Grande do Norte na segunda-feira, quando vai percorrer as cidades de Lajes, Angicos, Assú e Mossoró.

Informações: Globo Esporte / RN



Deixe um Comentário