Natal

Motoristas protestam por segurança e fazem paralisação por 2 horas em Natal

 FILA DE ÔNIBUS SE FORMOU NAS PROXIMIDADES DO VIADUTO DO BALDO, PERTO DA SEDE DO SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS (FOTO: CARLOS LIMA/INTER TV CABUGI)


FILA DE ÔNIBUS SE FORMOU NAS PROXIMIDADES DO VIADUTO DO BALDO, PERTO DA SEDE DO SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS (FOTO: CARLOS LIMA/INTER TV CABUGI)

Motoristas de Natal deixaram a população sem ônibus por duas horas ao longo da manhã desta quinta-feira (28). A paralisação aconteceu em protesto contra a violência que atinge o sistema de transporte público da capital potiguar. Na noite desta quarta (27), um motorista foi esfaqueado durante um assalto na Zona Norte da cidade.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro/RN), os ônibus deixaram de rodar às 8h30 e voltaram a circular às 10h30. Filas de ônibus se concentraram em três pontos de paralisação: próximo ao viaduto do Baldo, onde fica a sede do sindicato, no cruzamento das avenidas Prudente de Morais com a Bernardo Vieira, e no bairro da Ribeira, perto da Av. Duque de Caxias.

“Cerca de 400 assaltos a ônibus já foram registrados este ano. Em todo o ano de 2015, foram aproximadamente 700”, afirmou Harley Davidson, diretor do Sintro/RN.

De imediato, os rodoviários afirmam que não vão mais parar em pontos de ônibus localizados ao longo da Av. Felizardo Moura, no Bairro Nordeste, Zona Oeste da cidade. O local, segundo os motoristas, é a porta de embarque preferida pelos assaltantes que agem nas imediações da ponte de Igapó e bairros da Zona Norte, justamente onde David Flávio Fernandes da Silva, de 27 anos, foi vítima dos criminosos na noite desta quarta.

Delegacia especializada
O Sintro disse também que foi formada uma comitiva que vai se reunir na sede da Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) e depois vai ao Centro Administrativo do Estado tentar uma audiência com o governador Robinson Faria. O sindicato exige a criação de uma delegacia especializada em crimes contra o sistema de transporte público.

G1 RN


Deixe um Comentário