Política

“Me senti um prisioneiro”, diz Luiz Inácio, após prestar depoimento à PF

O EX-PRESIDENTE FOI LEVADO PAR DEPOR EM UMA ÁREA RESERVADA DA POLÍCI FEDERAL NO AEROPORTO DE CONGONHAS, EM SÃO PAULO. (FOTO: MARCOS BIZOTTO/RAW IMAGE / AG. O GLOBO)

O EX-PRESIDENTE FOI LEVADO PAR DEPOR EM UMA ÁREA RESERVADA DA POLÍCI FEDERAL NO AEROPORTO DE CONGONHAS, EM SÃO PAULO. (FOTO: MARCOS BIZOTTO/RAW IMAGE / AG. O GLOBO)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou depoimento à PF durante a manhã desta sexta-feira(04), no aeroporto de Congonhas. Lula foi o principal alvo da 24º fase da Operação lava Jato, que iniciou nas primeiras horas do dia deflagrou a ação batizada de “Aletheia , que quer dizer ” Em busca da verdade”.

Após prestar o depoimento, o ex-presidente foi até a sede nacional do PT, no centro da capital paulista e fez um pronunciamento. Lula disse que o  Ministério Público ou o Juiz Sérgio Moro quisessem ouvi-lo poderiam tê-lo convidado que ele iria falar, mas não precisaria de um mandado.

“jamais me recusaria a prestar depoimento. Não precisaria ter mandado uma coerção”. “Era só ter convidado. Antes deles nós já éramos democratas.” “Se o juiz [Sérgio] Moro e o Ministério Público quisessem me ouvir, era só ter me mandado um ofício e eu ia como sempre fui porque não devo e não temo”.  “Me senti prisioneiro hoje de manhã”, disse.

No pronunciamento, Lula ainda lembrou os programa sociais que foram implantados durante o seu governo e no governo Dilma, e  fez críticas ao judiciário e à imprensa, indicando o favorecimento de informações entre as duas esferas.

“Enquanto os advogados não sabiam nada, alguns meios de comunicação já sabiam. É lamentável que uma parcela do poder Judiciário brasileiro esteja trabalhando em associação com a imprensa.” Ele acrescentou: “Antigamente você tinha a denúncia de um crime, ia investigar se existia e prender o criminoso. Hoje a primeira coisa que se faz é determinar quem é o criminoso”.

O ex-presidente voltou a dizer que é inocente e prometeu não baixar a cabeça diante das acusações.

“Fiquei indignado com esse processo de suspeição. Se a PF encontrar um real de desvio na minha conduta, eu não mereço ser desse partido”. “O que fizeram com esse ato hoje foi fazer que, a partir da semana que vem, me convidem que eu estarei disposto a andar esse país.”Declarou o ex-presidente Lula.



Deixe um Comentário