Jurídico Polícia

Justiça condena PM acusado de envolvimento na morte de lutador de MMA

CRIME ACONTECEU EM FEVEREIRO DE 2014 NA FRENTE DE UMA ACADEMIA DE MUSCULAÇÃO E ARTES MARCIAIS EM SATÉLITE

A Justiça condenou o soldado da Polícia Militar Moisés Gonçalo do Nascimento a seis anos de prisão pelo crime de homicídio. Ele é acusado de participação no assassinato do lutador de MMA Luiz de França Sousa Trindade. O júri popular durou mais de 12 horas.

Como já estava há três anos custodiado em uma casa de saúde, sob a alegação de ter problemas mentais, o acusado vai cumprir o restante da pena em liberdade. A sentença também determinou a expulsão do réu da Polícia Militar.

O crime aconteceu em fevereiro de 2014 na frente de uma academia de musculação e artes marciais no conjunto Cidade Satélite, onde a vítima dava aulas. ‘Luizinho’, como era mais conhecido, tinha 25 anos.

A promotoria sustentou a versão de que o soldado pilotou a moto que levou e deu fuga ao principal suspeito de ser o autor do assassinato, o tenente da PM, Iranildo Félix. A defesa do PM disse que as provas não eram consistentes.

A mãe de Luiz de França, Auta Maria Pedroza, saiu chorando do julgamento. “Foi péssimo, mas Deus vai fazer a justiça dele”, disse.
O autor dos disparos, no caso, seria o tenente da PM Iranildo Félix, que em dezembro de 2015 foi encontrado morto dentro do 5º Batalhão, onde estava preso. Na época, a Polícia Militar declarou que um agente foi levar a comida do tenente e o encontrou enforcado com um lençol. Iranildo negava o crime.

As investigações apontaram que a morte de Luizinho foi motivada por um desentendimento entre o tenente e o lutador durante treinamentos que ambos faziam na academia.


Deixe um Comentário