Corrupção

Envolvido na Operação Canastra Real é exonerado da Assembleia Legislativa

DIRETOR GERAL DA PRESIDÊNCIA, LUIZ GONZAGA NETO TERIA 51 PROCURAÇÕES DE SERVIDORES E EX-SERVIDORES.(FOTO: EDUARDO MAIA)

Segundo noticiou o Blog do Carlos Santos, a Assembleia Legislativa do Rio  Grande do Norte, exonerou hoje, 25, um dos envolvidos na “Operação Canastra Real”, que investiga caso de corrupção na Casa por meio  de “servidores fantasmas”.

Luiz Gonzaga Meira Bezerra Neto foi exonerado do cargo em comissão de Diretor Geral da Presidência

Investigado pelo Ministério Público do RN (MPRN), ao ser deflagrada a operação no último dia 17, Luiz Gonzaga foi alvo de um pedido de busca e apreensão que o alcançou em endereço residencial no bairro Tirol, em Natal.

O nome de Luiz Gonzaga já tinha surgido em outro escândalo anterior, a “Operação Dama de Espadas”, também com uso de servidores fantasmas para desvio de recursos que passam de R$ 9,5 milhões em números atualizados.

Segundo o MPRN apurou em dados prospectados da Central Notária de Serviços Eletrônicos Compartilhados (CENSEC), o investigado teria pelo menos 51 procurações de servidores e ex-servidores da Assembleia Legislativa outorgadas em seu favor. Entre essas pessoas, até gente muito humilde – atendida por programas sociais como o “Bolsa Família” e residindo em outros municípios.

A princípio, o raciocínio é que ele recrutava e tinha responsabilidade de gerir outro núcleo de fantasmas, mas com salários menores do que o grupo comandado por Ana Augusta Simas Aranha Teixeira de Carvalho, chefe de Gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, que está presa desde segunda-feira. O MPRN atesta, que sob o controle dela cerca de R$ 2,440 milhões teriam sido usurpados da AL.

Fonte: Blog do Carlos Santos


Deixe um Comentário