Turismo

Enquanto estados vizinhos comemoram voos extras para as férias de julho, turismo potiguar deve ficar no “feijão com arroz”

AZUL IRÁ REFORÇAR SUA MALHA AÉREA PARA A ALTA TEMPORADA DE JULHO EM RECIFE

No que diz respeito a rotas domésticas, a alta temporada turística do mês de Julho desponta como sendo promissora e vigorosa para estados concorrentes do Rio Grande do Norte, como Pernambuco e Bahia, por exemplo. Enquanto esses destinos turísticos já contam como fato líquido e certo a conquista de centenas de voos extras para o período, no turismo potiguar, até o momento, não se tem qualquer informações da ocorrência de qualquer incremento de operações aéreas extraordinárias para Natal na temporada de meio de ano.

Apenas, o que se tem conhecimento, até o momento, embora ainda sem confirmação oficial, é que a operadora de turismo CVC deverá ampliar a oferta de assentos entre Campinas e Natal em Julho.

Diferentemente do que ocorre em Natal, a Bahia terá uma oferta adicional superior a 650 voos para a temporada de julho. Os serviços serão oferecidos por Gol e Azul partindo de cidades como Belo Horizonte, São Paulo (Campinas e Guarulhos), Goiânia, Brasília, entre outras. Esses voos têm como destino Salvador, Porto Seguro, Ilhéus e Valença (acesso ao Morro de São Paulo).

BAHIA TERÁ UMA OFERTA ADICIONAL SUPERIOR A 650 VOOS PARA A TEMPORADA DE JULHO

A Gol detém a maioria dos serviços extras: 528 entre a primeira semana de julho e 16 de agosto. Além das rotas domésticas, haverá voo direto semanal Montevidéu-Salvador. A Azul entra com mais de 150 e se diz confiante no retorno que seus voos adicionais trarão.

PERNAMBUCO

A cidade do Recife também ostenta números expressivos: a Azul irá reforçar sua malha aérea para a alta temporada de julho com destino a Recife, o hub nordestino da companhia. Mais que isso, a Azul também irá adicionar uma conexão direta entre a capital pernambucana e o Rio de Janeiro. No total, serão acrescidos 440 voos no período.

Em linguagem simples, a decisão de uma companhia aérea de colocar voos extras para uma determinada cidade significa que o turismo dessa localidade se encontra com forte demanda turística; ou seja, tem muitos passageiros querendo viajar para o destino.

O DESTAQUE DA REGIÃO NORDESTE NA ÁREA DE TURISMO DE EVENTOS É A CIDADE DO RECIFE

O incremento da demanda turística reflete positivamente na ocupação hoteleira e, consequentemente, na movimentação do comércio, bares, restaurantes e similares desses destinos turísticos.

Na área do turismo de eventos, Recife também tem o que comemorar – de acordo com um ranqueamento feito pela International Congress and Convention Association (ICCA), que avalia os eventos com padrões internacionais, o destaque da região Nordeste é a capital pernambucana.

Recife, que ficou à frente de outras capitais nordestinas, como Salvador, ocupou a sétima colocação no ranking nacional. As primeiras colocações foram preenchidas por São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Florianópolis, Foz do Iguaçu (PR), Porto Alegre e Belo Horizonte.

No setor de turismo de eventos, Natal já foi uma referência nacional, na época em que o Centro de Convenções de Natal, hoje sob a tutela do Governo do Estado, era administrado pela Coohotur (Cooperativa para o Desenvolvimento da Atividade Hoteleira), uma entidade sem fins lucrativos, que era administrada por hoteleiros e profissionais do setor.

Com o fim da Coohotur e a passagem do Centro de Convenções para a gestão do Estado, houve o arrefecimento do fluxo de eventos no equipamento, que atualmente passa por obras de reforma e ampliação, benefícios este que devem garantir a retomada do crescimento do turismo de eventos potiguar.

Ainda no passado recente, Natal se destacava entre os principais destinos do turismo de eventos do Brasil, tendo recebido por diversas ocasiões o Prêmio Caio, maior premiação da indústria de eventos e turismo brasileira, também concedida por várias ocasiões ao Centro de Convenções de Natal, na categoria Centro de Convenções de Grande Porte.

RIO GRANDE DO NORTE

Como a alta temporada do meio do ano já bate às portas dos destinos turísticos, tudo indica que as companhias aéreas não diagnosticaram a necessidade de reforçar o volume de seus voos domésticos para Natal – o que deixa transparecer que, além do “feijão com arroz”, não será intensa a quantidade de turistas que se disponibilizam a visitar Natal em Julho, quando comparado ao que deve se registrado nos estados vizinhos.

AO CONTRÁRIOS DE OUTROS ESTADOS, ATÉ O MOMENTO, NÃO SE TEM NOTÍCIAS SE O RN TERÁ VOOS EXTRAS PARA A TEMPORADA DE JULHO

A tábua de salvação talvez seja um incremento que venha a ser produzido pelo turismo regional, fluxo gerado por visitantes de estados vizinhos, que geralmente chegam ao destino através de rodovias.

Com relação a voos extras internacionais, o que se tem conhecimento até o momento é que a Gol operará um voo extra entre Natal e Buenos Aires, no período de 7 a 29 de julho.

Recentemente, a Secretaria de Turismo do Estado divulgou que o último mês de Maio registrou um crescimento de fluxo de turistas da ordem de 10% (com relação a maio de 2016). No entanto, os números propagados foram obtidos através de dados fornecidos pelo Consórcio Inframérica, que administra o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

É preciso observar que o aeroporto não faz pesquisa de fluxo turístico (origem do passageiro, motivo da viagem, meio de hospedagem, tempo de permanência, etc.), mas apenas quantifica o volume de desembarques, operação que inclui a chegada não só de passageiros que aterrissam no aeroporto de São Gonçalo com o objetivo de visitar Natal, como também de residentes que retornam para Natal após a realização de uma viagem.

Para o secretário de Turismo da Bahia, José Alves,  o expressivo volume de voos extras deve-se, entre outros fatores, ao esforço do governo em baixar o preço do querosene de aviação. Embora o Rio Grande do Norte também tenha reduzido a alíquota de ICMS para o querosene de aviação (QAV), a receita do turismo baiano não surtiu o mesmo efeito no tempero do turismo potiguar.



Deixe um Comentário