Política

Em Natal, Lula lança Mineiro e insinua candidatura para 2018

EM NATAL, LULA LANÇA MINEIRO E INSINUA CANDIDATURA PARA 2018-

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva veio ontem a Natal para lançar a candidatura do deputado Fernando Mineiro à prefeitura do Natal e – antes e durante a convenção – foi aclamado por centenas de militantes ao falar em tom de campanha não apenas para Mineiro, em outubro próximo, mas também para um possível palanque em 2018. “Eu tenho 70 anos. Para 2018 só faltam dois. Eles que se preparem”, disse no ginásio do Ded, em candelário, onde ocorreu a convenção.
Mineiro é candidato a prefeitura da capital ao lado da advogada Carla Tatiane (PC do B), candidata a vice; e para impulsionar a sua candidatura contou com a presença de Lula e do presidente nacional do PT, Rui Falcão. Na ocasião, foi homologada a nominata com mais de 20 candidatos petistas à Câmara Municipal, entre eles os já vereadores Fernando Lucena, Hugo Manso e o ex-presidente da Fundação José Augusto, Rodrigo Bico.
Na convenção, apara defender o nome de Fernando Mineiro como melhor candidato, o ex-presidente partiu para o ataque contra o atual prefeito, sem perder a viagem de criticar o governador e castigar bastante o ex-ministro Henrique Eduardo Alves e o que chamou de oligarquias que sempre governam a cidade e o Estado. “Eu não sei como uma cidade como essa, mantém essa mesma oligarquia mandando na política”, afirmou.
Com relação a Henrique Eduardo Alves, Lula comentou que decidiu apoiar Robinson Faria (PSD) porque estava cansado do comportamento do ex-ministro, que teria prejuicado Fátima Bezerra na campanha de 2008, quando ela disputou a prefeitura e não teria contado com o empenho do PMDB.
Lula também falou que tentou falar com Robinson faria e seu filho, o deputado estadual Fábio Faria, quando eles seguiram a orientação nacional do PSD e se posicionaram favorável ao impedimento de Dilma Rousseff. “”Eu disse a ele: governador, você não me deve nada. Mas queria lembrar de algo que você disse, que gratidão era algo que você nunca esqueci. Mas você esqueceu”.
Para cada crítica direcionada a algum político potiguar, os militantes gritavam palavras de ordem, chamando aqueles que eram criticados de “golpistas” e “traidores”.
Antes de participar da convenção Lula esteve com lideranças da Frente Brasil Popular em Natal (RN) no hotel Praia Mar, em Ponta Negra, onde discursou para centenas de pessoas que vibravam a cada frase proclamada. O tom do discurso não poderia ser outro, forte oposição ao governo interino do presidente Michel Temer.
Lula relembrou as conquistas sociais e conômicas que o país obteve ao longo dos 13 anos do governo do PT e como milhares de pessoas conseguiram sair da miséria. Ele acusou o governo de Temer e aliados de chegar ao poder através de manobras que chamou de “golpe”. “Eles sabem que a maneira mais fácil de chegar ao poder é dando um golpe”, acusou.
Segundo Lula, o governo Temer começou uma operação de desmonte e venda de ativos da Petrobras que, disse, foi transformada pelo governo PT na  segunda maior empresa de petróleo do mundo, além da descoberta do pré-sal.
Mas foi ao falar da Operação Lava Jato, do risco de ser preso e do iminente impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, que ele deixou clara a possibilidade de voltar à presidência da república. “O momento que estamos passando não me desanima, me anima mais”, disse alegando que sofre perseguição porque seus adversários querem vê-lo fora do páreo em 2018.
Aos jovens, mulheres, movimentos sociais e de LGBT, Lula estimulou a luta e os convidou a defender as conquistas obtidas por seu governo. “Vocês não podem desanimar nunca da política. Tudo o que a direita quer é que vocês odeiem a política. Temos que provar para nós a cada dia que a gente pode mudar a realidade e transformar esse país, mas não esperem que seja feito só por este velhinho de 70 anos”, disse referindo a si próprio, “Não é só se queixar e reclamar, mas saber o que se pode fazer. Tem que vim de vocês. Têm que ser mais radicais, cobrar mais”, incentivou.
AGENDA DE CONVENÇÕES
4 de agosto (amanhã)
PMDB: 8h, sede do
partido/Tirol
PDT: 9h no Parque da Cidade – Carlos Eduardo (PDT) e Álvaro Dias (PMDB)
PSDB: 14h auditório do Cemure – Márcia Maia (PSDB) e Luiz Gomes (PEN)
PSB: 19h no clube Albatroz – Rafael Motta, vice indefinido
5 de agosto (sexta-feira)
PSTU: 18h no IFRN C. Alta – Rosália Fernandes e Luciana LimaEx-presidente critica governo interino de Michel Temer, aponta possibilidade de disputar eleição, pede que militantes lutem para garantir
NOVO

Deixe um Comentário