Natal

Durante audiência pública, vereadores e Secretário de Obras de Natal destacam a “má qualidade” dos serviços da Caern

PROPOSTA PELO VEREADOR UBALDO FERNANDES (ESQ.), AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELA CAERN

Questionamentos em torno da qualidade de serviços prestados pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) terminaram roubando a cena de uma audiência pública realizada nesta segunda-feira (19), na Câmara Municipal de Natal, com o objetivo de debater a não privatização da companhia. O vereador Ubaldo Fernandes (PMDB), autor da iniciativa, iniciou o rol de reclamações contra a estatal, ao destacar que a má qualidade dos serviços prestados pela Caern nas obras de saneamento básico é uma questão que vem desagradando a população natalense nos últimos meses.

Ubaldo Fernandes responsabilizou a Caern por deixar a cidade cheia de buracos. “No último Câmara nos Bairros nós ouvimos da população muitos depoimentos, reclamações e denúncias em relação às obras de saneamento básico. As empresas que estão prestando serviço para a Caern estão deixando a cidade cheia de buracos, não estão fazendo o adequado serviço de capeamento asfáltico trazendo diversos transtornos para os natalenses”.

O secretário de Obras de Natal, Tomaz Neto, presente ao evento, também não perdeu a oportunidade de criticar o padrão de qualidade dos serviços prestados pela Caern. Segundo o auxiliar do prefeito Carlos Eduardo Alves,  a Secretara de Obras do município  notificou 122 vezes a Companhia de Águas e Esgotos em relação a má qualidade dos serviços nas obras de saneamento básico na cidade.

“Nós notificamos, participamos de reuniões, discutimos com a Caern para que a Companhia realize um bom serviço e faça a reparação da obra malfeita, porém a Secretaria de Obras Públicas não tem o poder de polícia, notificar e em caso de não cumprimento multar ou paralisar uma obra, por isso muitas vezes o não cumprimento das notificações por parte Caern deixa remanescentes para a Prefeitura”, disse Tomaz Neto.

AÇÃO JUDICIAL

Para engrossar o caldo, o vereador Klaus Araújo afirmou que pretende entrar com um requerimento no plenário, nesta terça-feira (20), além de uma ação judicial, contra o Governo do Estado, devido aos gastos públicos com propagandas sobre as obras de saneamento básico. Rego conceitou as peças publicitárias como “propaganda enganosa”, já que as obras não devem ser concluídas até o próximo ano, como afirma a publicidade governamental.

“A obra parou e ninguém sabe quando retornará, consequentemente vai ter um aumento no repasse do valor, para uma obra que já está em 504 milhões, e o problema maior é que o governo do estado está gastando dinheiro público com propaganda enganosa para a população dizendo que vai sanear a cidade até o próximo ano, e devido a essas paralisações nós sabemos que não vai. Portanto, nós vamos entrar liminarmente para que o Governo paralise essa propaganda”, disse o vereador.

EXPLICAÇÕES

Em meio a um bombardeio de reclamações, o superintendente da Caern, Lamarcos Vital Teixeira, destacou que a burocracia retarda o andamento das reparações das obras malfeitas.

“Existem protocolos para administrar um volume de obras tão expressivo. Para fiscalizar e autuar as empresas existe um procedimento e esse procedimento não é tão rápido, as etapas vêm sendo cumpridas, não de maneira célere como a gente queria, mas estamos exigindo das empresas os reparos”, defendeu Lamarcos Vital.

O dirigente da estatal também se posicionou com relação a possibilidade de privatização da companhia e disse que essa iniciativa não será encampada pelo governo estadual. Lamarcos confirmou no entanto que existem voltados para a realização de parceria público-privada. “O governador do estado afastou a possibilidade de privatização, porém existem estudos para uma parceria público-privada que venha atender necessidades prioritárias da empresa, como na área de perdas e eficiência energética”, afirmou Lamarcos.

 

 


1 Comentário

Deixe um Comentário