Natal

Direito de pergunta: se o Dnit vê a Ponte de Igapó em “situação de emergência”, por que ela não é fechada?

Há 29 anos sem manutenção, Ponte de Igapó foi avaliada por técnicos do Crea em 2018 — Foto: Reprodução/Flávio Muniz/Inter TV Cabugi

HÁ 29 ANOS SEM MANUTENÇÃO, PONTE DE IGAPÓ FOI AVALIADA POR TÉCNICOS DO CREA EM 2018 — FOTO: REPRODUÇÃO/FLÁVIO MUNIZ/INTER TV CABUGI

Uma pergunta que não quer calar: se o Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) considera que a velha Ponte de Igapó, que há 29 anos não tem manutenção, se encontra em “situação de emergência”, porque a mesma não é fechada enquanto é providenciada a  recuperação de sua estrutura?

E como perguntar não ofende, em uma hipotética situação de desabamento, a responsabilidade seria do Dnit, da Prefeitura do Natal ou do Governo do Estado?

Em nota divulgada na tarde desta sexta-feira (8), o Dnit informou que a declaração de emergência se dá pelo “avanço exponencial” observado, nas últimas três inspeções realizadas em maio e novembro de 2018 e fevereiro de 2019, no nível de degradação de algumas peças estruturais da ponte, “o que torna necessário, para barrar tal avanço, que sejam tomadas medidas de recuperação/reforço imediatas em tais elementos, de maneira que se possa continuar garantindo a segurança dos usuários e a manutenção do bem público”.

Com 606 metros de extensão e 12 metros e meio de largura, a Ponte de Igapó recebe, diariamente, cerca de 80 mil veículos, 37 linhas de ônibus e 13 viagens de VLT. A última manutenção na Ponte de Igapó foi realizada em 1990. De lá pra cá, os moradores não têm conhecimento de nenhum reparo feito na estrutura.

Fonte: com informações do G1RN

Deixe um Comentário